Jornal do Commercio
PENDÊNCIAS

Atrasos salariais na reta final do Brasileirão preocupam o Sport

O elenco rubro-negro está com três meses de salários atrasados

Publicado em 09/11/2018, às 07h19

Diretoria do Sport promete quitar todos os atrasados até o final da Série A / Foto: JC Imagem
Diretoria do Sport promete quitar todos os atrasados até o final da Série A
Foto: JC Imagem
Filipe Farias
Twitter: @_filiepfarias

Se dentro de campo o Sport voltou a dar alegria ao torcedor (vem de três vitórias consecutivas e deixou o Z-4 da Série A na última rodada), fora das quatro linhas os problemas financeiros têm causado preocupação na Ilha do Retiro. É a pior crise que o clube atravessa nos últimos dez anos, justamente na reta final do Brasileirão, com a equipe brigando para não ser rebaixada à Segunda Divisão. Na quinta-feira (8), os atrasados dos jogadores completaram três meses de carteira - a terceira imagem vence no próximo dia 15. Dentro desse cenário, os atletas leoninos que estão com as três carteiras vencidas já podem pedir rescisão na Justiça, o que só aumenta o receio entre os rubro-negros.

Com relação aos funcionários do clube, aqueles que recebem até R$ 2 mil tiveram uma folha paga no dia de ontem. Já todos os empregados que trabalham no centro de treinamento, também tiveram um mês de salário atrasado quitado. De acordo com o vice-presidente do executivo do Sport, Gustavo Dubeux, isso só foi possível graças ao recebimento de uma parte do patrocínio da Caixa Econômica Federal, no valor de R$ 2,8 milhões. O dirigente leonino ainda afirmou que, os próprios atleta pediram que os vencimentos dos funcionários fossem priorizados. “Isso foi feito. Distribuímos integralmente o valor recebido entre as pessoas que recebem menos”, declarou Dubeux, em entrevista à Ralph de Carvalho, da Rádio Jornal. Ele também ressaltou que os bichos estão em dia.

O vice do executivo ainda fez questão de ressaltar o empenho do elenco, além de revelar o acordo feito com os atletas. “O Sport terá todas as suas contas em dia até o final do ano. O que o grupo quer é a certeza de que a diretoria vai cumprir com essas obrigações das três folhas (salariais) até o término do Brasileiro. Falamos que vamos honrar com isso, pois temos três fontes de receita para entrar agora em dezembro”, disse Dubeux, demonstrando calma com relação à possibilidade dos atletas entrarem na Justiça.

Na teoria, o fluxo de caixa do Sport tende a normalizar no próximo mês. Porém, para que isso aconteça, algumas receitas que o clube ainda tem a receber precisam ser depositadas. “Temos os 10% referentes à venda de Anselmo (para o Al Wehda, da Arábia Saudita), que o clube costumeiramente cobra (valor de direito de vitrine). Espero que até final do mês eles (os árabes) paguem o restante”, declarou. Como o Internacional negociou o volante por algo perto de R$ 10 milhões, os rubro-negros receberiam R$ 1 milhão.



Outra receita que a diretoria leonina aguarda é referente as duas últimas parcelas da venda de André para o Grêmio - cada uma no valor de cerca de R$ 1,3 milhão. “Esse crédito da negociação de André será pago em dezembro e um outro pedaço em janeiro”, afirmou Dubeux, que também mencionou o imbróglio com o Fluminense sobre o valor da transferência de Diego Souza para o São Paulo.

JUSTIÇA

Apesar de os jogadores do Sport terem aceitado o acordo feito com a direção (de aguardar as receitas que o clube tem a receber), qualquer um deles já pode acionar a Justiça e pedir a rescisão contratual. De acordo com a Lei 9.615 (Lei Pelé), o artigo 31 afirma que “a entidade de prática desportiva empregadora que estiver com pagamento de salário ou de contrato de direito de imagem de atleta profissional em atraso, no todo ou em parte, por período igual ou superior a três meses, terá o contrato especial de trabalho desportivo daquele atleta rescindido, ficando o atleta livre para transferir-se para qualquer outra entidade de prática desportiva de mesma modalidade, nacional ou internacional, e exigir a cláusula compensatória desportiva e os haveres devidos”.

O texto ainda diz que o atleta “fica autorizado a transferir-se para outra entidade de prática desportiva, inclusive da mesma divisão, independentemente do número de partidas das quais tenha participado na competição, bem como a disputar a competição que estiver em andamento por ocasião da rescisão contratual”.


Recomendados para você


Comentários

Por RUBRONEGRO,09/11/2018

ESTES JORNALISTAS ESPORTIVOS DE PERNAMBUCO SÓ FALAM BESTEIRA PAREM DE COMENTAR ATRASOS SALARIAIS ISTO SÓ ATRAPALHA O TRABALHO DE MILTON MENDES,ASTRAL DOS JOGADORES NÃO É SÓ O SPORT QUE TÊM ATRASOS SALARIAIS INTERNACIONAL,SÃO PAULO,FLAMENGO ESTÃO COM SALÁRIOS ATRASADOS MAS A IMPRENSA DO SUL E SUDESTE NÃO COMENTAM ISTO.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM