Jornal do Commercio
ELEIÇÕES

Sem candidato da situação, aumenta o acirramento das oposições do Sport

Com a retirada de Augusto Carreras, os candidatos Milton Bivar e Eduardo Carvalho disputam a eleição para presidente do Leão

Publicado em 05/12/2018, às 07h13

Arnaldo Barros deixará a cadeira de presidente do Sport no próximo dia 31. Eleições do clube é no dia 18 / Foto: JC Imagem
Arnaldo Barros deixará a cadeira de presidente do Sport no próximo dia 31. Eleições do clube é no dia 18
Foto: JC Imagem
Filipe Farias
Twitter: @_filipefarias

Quem esperava que a retirada da chapa de Augusto Carreras, candidato à presidência do Sport pela situação que declinou na última segunda-feira, fosse apaziguar os ânimos na Ilha do Retiro, errou feio. Com as eleições para presidente do clube rubro-negro polarizada em dois concorrentes (Milton Bivar e Eduardo Carvalho), ambos de oposição, a crise política do Leão só foi ganhou mais um capítulo. Pela primeira vez na história, o Sport não terá um candidato indicado por quem está no poder. Com isso, sem a referência para mirar os ataques, a famosa “vidraça”, o acirramento entre os dois nomes que concorrem à cadeira de presidente do Sport se intensificou, com críticas dos dois lados.

Esse, inclusive, foi um dos principais motivos alegados por Augusto na hora de tomar a decisão de desistir de sua candidatura. “Entendemos que o clube precisava se encontrar. Queríamos dar esse exemplo em prol da pacificação do clube. Que o ambiente político melhorasse, que o torcedor possa escolher o seu presidente e ele tenha dois anos de tranquilidade para gerir o clube”, falou Carreras à Rádio Jornal.

 

Para Eduardo Carvalho, candidato pela chapa “Uma Razão para Viver”, a eleição para o próximo biênio 2019/2020 terá sim um representante de situação. “Milton Bivar foi convidado para ser vice de futebol de Arnaldo Barros. E aceitou. Chegou a negociar, mas depois voltou atrás. Milton também chamou para ser vice-presidente executivo um ex-diretor de futebol de Arnaldo Barros (Julio Neto). Só não foi confirmado porque teve pressão e colocaram Carlos Frederico, mas ele (Julio Neto) está dentro do grupo de Milton. Eu não tenho qualquer ligação com Arnaldo. Milton não é oposição. Nunca foi”, disparou.



 

Sobre a acusação, o presidente campeão da Copa do Brasil de 2008 se defende afirmando que Julio Neto não tem grupo político dentro do clube. “Convidei Julio sim para ser meu vice-presidente, mas ele tem muitos compromissos, empresas, família que mora nos EUA, e precisa dedicar mais tempo lá. Sendo que ele nunca foi de nenhum lado. Falam que os “caciques” tiraram ele do outro grupo, mas ele nunca teve grupo. Na verdade, Julio é Sport. É um jovem, cheio de ideias, exatamente o que o Sport precisa para trabalhar. Ele não pôde se candidatar à vice-presidência, mas se formos eleito, vai nos ajudar dentro do possível no departamento de futebol”.

AUDITORIA

Sobre a situação financeira do Leão, os dois candidatos estão de acordo de fazer uma auditoria para esmiuçar as contas do clube. “Vamos pedir uma auditoria para mostrar o real buraco que a próxima gestão vai pegar. Tem de ser feita pra acabar com essa história de a administração prometer, não cumprir e dizer que a culpa é de uma herança maldita”, garantiu Eduardo. “Se eleito, peço à torcida 120 dias para fazer uma auditoria no clube. Ela vai nos mostrar a real situação do Sport. Vamos ter transparência com o nosso torcedor, pois hoje o Sport é uma caixa preta”, declarou Milton.


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida
Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM