Jornal do Commercio
POLÍTICA

Martorelli defende Arnaldo Barros no Sport: 'vítima da política'

Antecessor do atual presidente executivo acusa ainda torcedores e imprensa, e alega que dívidas do Sport estão 'equacionadas'

Publicado em 06/12/2018, às 08h17

"(O Sport) está saneado, com sua monumental dívida fiscal e trabalhista equacionada”, afirma Martorelli
Foto: Bobby Fabisak/ JC Imagem
Diego Borges
Twitter: @DiBorges9

Após o rebaixamento na Série A do Brasileirão e a retirada da chapa de situação da candidatura à sequência no comando político do Sport, resta à gestão Arnaldo Barros conviver com as críticas da torcida até o fim do mandato e lidar com os débitos salariais que estão prestes a alcançar quatro meses de atraso. No entanto, também há quem saia em defesa do atual presidente executivo. É o caso do seu antecessor, João Humberto Martorelli, que enxerga o seu antigo vice-presidente como ‘vítima da política do clube’.

Em artigo publicado pelo JC nesta quinta-feira, Martorelli acusa o grupo político derrotado no último pleito de manter o embate e preparar ‘armadilhas’ após o resultado das urnas. “O conjunto de forças derrotado nas últimas eleições, incluídos muitos, quase todos, ex-presidentes, jamais aceitou a vitória de um outsider não ungido por ele, e instalou armadilhas.”

Para o último ex-presidente do Sport, a torcida rubro-negra e a imprensa esportiva tiveram papel fundamental na diminuição da credibilidade de Arnaldo Barros. “Foram acolhidas (as armadilhas) calorosamente pelas redes sociais e pela crônica esportiva, cuja sobrevivência, naturalmente, passa pela disseminação de polêmicas”, acusa.



Martorelli aponta ainda o bloqueio judicial sobre a receita da venda de Diego Souza, que aponta como ‘acontecimento improvável no mundo dos homens de bem’, como  preponderante para interferir no andamento da atual gestão.

PEDIDO AO FUTURO PRESIDENTE

O ex-mandatário conclui com um alerta aos futuros gestores do clube, apontando a união política como condição fundamental para o trabalho à frente do clube. “O Sport só é forte quando está unido.” E orienta ainda que o modelo implementado em sua gestão, continuada por Arnaldo Barros, seja o ideal para o novo presidente. “Diferentemente do que se apregoou ao longo desses dois anos, (o Sport) está saneado, com sua monumental dívida fiscal e trabalhista equacionada”, afirma Martorelli.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM