Jornal do Commercio
POLÍTICA

Martorelli defende Arnaldo Barros no Sport: 'vítima da política'

Antecessor do atual presidente executivo acusa ainda torcedores e imprensa, e alega que dívidas do Sport estão 'equacionadas'

Publicado em 06/12/2018, às 08h17

"(O Sport) está saneado, com sua monumental dívida fiscal e trabalhista equacionada”, afirma Martorelli
Foto: Bobby Fabisak/ JC Imagem
Diego Borges
Twitter: @DiBorges9

Após o rebaixamento na Série A do Brasileirão e a retirada da chapa de situação da candidatura à sequência no comando político do Sport, resta à gestão Arnaldo Barros conviver com as críticas da torcida até o fim do mandato e lidar com os débitos salariais que estão prestes a alcançar quatro meses de atraso. No entanto, também há quem saia em defesa do atual presidente executivo. É o caso do seu antecessor, João Humberto Martorelli, que enxerga o seu antigo vice-presidente como ‘vítima da política do clube’.

Em artigo publicado pelo JC nesta quinta-feira, Martorelli acusa o grupo político derrotado no último pleito de manter o embate e preparar ‘armadilhas’ após o resultado das urnas. “O conjunto de forças derrotado nas últimas eleições, incluídos muitos, quase todos, ex-presidentes, jamais aceitou a vitória de um outsider não ungido por ele, e instalou armadilhas.”

Para o último ex-presidente do Sport, a torcida rubro-negra e a imprensa esportiva tiveram papel fundamental na diminuição da credibilidade de Arnaldo Barros. “Foram acolhidas (as armadilhas) calorosamente pelas redes sociais e pela crônica esportiva, cuja sobrevivência, naturalmente, passa pela disseminação de polêmicas”, acusa.



Martorelli aponta ainda o bloqueio judicial sobre a receita da venda de Diego Souza, que aponta como ‘acontecimento improvável no mundo dos homens de bem’, como  preponderante para interferir no andamento da atual gestão.

PEDIDO AO FUTURO PRESIDENTE

O ex-mandatário conclui com um alerta aos futuros gestores do clube, apontando a união política como condição fundamental para o trabalho à frente do clube. “O Sport só é forte quando está unido.” E orienta ainda que o modelo implementado em sua gestão, continuada por Arnaldo Barros, seja o ideal para o novo presidente. “Diferentemente do que se apregoou ao longo desses dois anos, (o Sport) está saneado, com sua monumental dívida fiscal e trabalhista equacionada”, afirma Martorelli.





Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.
Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM