Jornal do Commercio
Justiça

Advogado explica ações de Deivid, Max e Ferreira contra o Sport

Deivid, Max e Ferreira acionaram o Sport na Justiça por falta de pagamento dos salários

Publicado em 10/01/2019, às 18h48

Deivid pede R$ 1,5 milhão por salários atrasados no Sport / Filipe Farias/Jornal do Commercio
Deivid pede R$ 1,5 milhão por salários atrasados no Sport
Filipe Farias/Jornal do Commercio
Fernando Castro
Twitter: @fernand0_castro

Depois de ser denunciado ao Superior Tribunal de Justiça Desportiva pelo meia-atacante Gabriel, por falta de fair play financeiro, o Sport virou alvo de outras três ações no STJD. O volante Deivid cobra R$ 1,5 milhão, enquanto o zagueiro Max exige R$ 400 mil e o volante Ferreira pede R$ 250 mil. As ações foram feitas pelo advogado João Chiminazzo, que explicou a situação.

"Realmente eu entrei com essas três ações, eu fui procurado pelos jogadores. Em relação ao Max e Ferreira, são jogadores que tinham contrato até o final do ano de 2018, eles saíram do clube sem o pagamento dos salários de setembro, outubro, novembro, dezembro, décimo terceiro, férias, uma parte do FGTS. Então eu entrei com uma ação para cobrar esses valores", explicou o advogado, em entrevista ao repórter Filipe Farias, para a Rádio Jornal.

DEIVID

Em relação ao volante Deivid, que pediu para deixar o Sport no começo da semana, o advogado João Henrique Chiminazzo afirmou que ele tem uma situação diferente, já que ainda tem contrato com o clube. Com mais de três meses de salários atrasados, o volante entrou com o pedido de rescisão contratual, como previsto na Lei Pelé.



"A situação do Deivid é um pouco diferente. Ele está no clube, tem contrato até o final de 2019, mas também está com esses mesmo salários atrasados e o clube já sinalizou que não tem condições de honrar com esses pagamentos e de manter os salários dele. O artigo 31 da Lei Pelé diz que a falta de pagamento de salário por três meses ou mais é motivo de rescisão indireta do contrato de trabalho, então a gente entrou com esse pedido", declarou o advogado de Deivid.

A reportagem do Jornal do Commercio procurou o Departamento Jurídico do Sport, mas não obteve êxito. A Assessoria de Comunicação do clube informou que os advogados rubro-negros ainda estão estudando os casos para posteriormente se pronunciarem oficialmente.


Palavras-chave




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.
Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM