Jornal do Commercio
leão

“Meu time não pode depender de centroavante”, diz técnico do Sport

Técnico Milton Cruz fez comentários a partir da oficialização de Elton

Publicado em 11/01/2019, às 18h30

Uma das opções para o ataque é Hernane Brocador. / Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife
Uma das opções para o ataque é Hernane Brocador.
Foto: Williams Aguiar/Sport Club do Recife
Karoline Albuquerque
Do Blog do Torcedor

Até agora, o elenco do Sport conta com dez jogadores para o ataque, entre reforços, remanescentes e jogadores da base. Hernane Brocador e Juninho ficaram desde a temporada passada, Alison, Juninho Palmares, Juninho Foz e Pardal foram promovidos ao time principal e Alisson Farias, Ezequiel, Leandrinho e Elton. E com tantas possibilidades, o técnico Milton Cruz não quer um time dependendo apenas do camisa 9.



"Jogador do meio para frente, no meu time não pode depender do centroavante. Jogador de lado tem que fazer gol, por trás do atacante... Muitas vezes nem uso meia técnico de qualidade, mas o meia entra na área e é uma surpresa. Que venha de trás e possa ocupar o espaço do centroavante, vir por trás e fazer gol", explicou o técnico rubro-negro.

Leia matéria completa no Blog do Torcedor.


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM