Jornal do Commercio
Notícia
leão

DM do Sport explica casos de Guilherme, Sander e Luan

Dos três jogadores, dois desfalcam o Sport na estreia da Série B do Brasileiro

Publicado em 24/04/2019, às 17h48

Guilherme (D) será reavaliado na quinta-feira.  / Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Guilherme (D) será reavaliado na quinta-feira.
Foto: Brenda Alcântara/JC Imagem
Karoline Albuquerque
Do Blog do Torcedor

Dos quatro desfalques do Sport no treino desta quarta-feira (24), três atletas estão entregues ao departamento médico rubro-negro. O meia Guilherme, o atacante Luan e o lateral-esquerdo Sander. Desses, apenas Guilherme pode ser liberado para a partida de sexta-feira (26), quando o Leão encara o Oeste, na estreia do Campeonato Brasileiro da Série B, às 21h30 na Ilha do Retiro.

De acordo com o médico rubro-negro Raul Lins, Guilherme machucou as costas na hora em que sofreu o pênalti que ocasionou o gol do Sport no jogo de volta da final do Pernambucano, contra o Náutico. O meia caiu com a região lombar sobre o joelho do adversário. O trauma direto na região lombar ainda incomoda o atleta, que fez uma radiografia.

"Ele está evoluindo bem, mas está em tratamento dessa contusão lombar. Hoje ele está bem melhor. Nada grave, só a contusão e a dor. Provavelmente estará apto. Amanhã ele vai ser reavaliado e creio que sexta-feira ele está disponível", explicou o médico leonino.



Já o lateral-esquerdo Sander pode voltar na segunda rodada da Série B. O jogo contra o Bragantino está marcado para o dia 6 de maio, uma segunda-feira, fora de casa. Assim, é intervalo suficiente para a recuperação do capitão rubro-negro. O jogador sofreu um trauma em hiperextensão no joelho. Ele chegou a machucar a mesma região duas vezes, primeiro em um treino e depois em jogo na partida contra o Timbu.

O maior problema, para Sander, é que além do edema ligamentar, a ressonância apontou um edema ósseo, que demanda mais tempo de recuperação, com cerca de duas semanas inicialmente. "Ele tem um edema na cabeça da fíbula, na parte óssea que se insere o ligamento oblíquo do joelho. É um ligamento que dá estabilidade na rotação do joelho. Nesse trauma em hiperextensão que ele teve, foram dois em sequência do mesmo mecanismo. Clinicamente, ele não tem nenhuma instabilidade ligamentar, mas tem que dar uma paradinha", detalhou Raul Lins.

O caso do atacante Luan é o que demanda mais tempo. Ainda na primeira fase do Campeonato Pernambucano, o rubro-negro passou a se queixar de dores no tendão de aquiles. Ele passou por um tratamento para poder jogar as finais do Estadual, mesmo sem estar em 100% de sua condição. "Tem uma lesão pequena do tendão. A princípio, três semanas para a gente tratar essa lesão. A gente vai reavaliar para ver se vai fazer algo mais, mas acho que vai ficar só nisso mesmo.", concluiu o médico do Sport.





Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM