Jornal do Commercio
Notícia
Rubro-negro

Guto Ferreira explica motivo da falta de chance a Magrão como titular no Sport

Técnico falou que, pelo bom momento de Mailson, não poderia tirar sequência do jovem goleiro

Publicado em 12/07/2019, às 16h24

"Qualquer tipo de mexida seria de menos valia para Mailson. E uma mexida desnecessária, por mais ídolo e respeito que eu tenha pelo atleta Alessandro Beti, Magrão”, disse Guto
Foto: Alexandre Gondim/JC Imagem
Klisman Gama
Twitter: @KlismanGama

Na continuidade da entrevista de Magrão, dada à TV Globo, o goleiro afirmou que Guto Ferreira havia mentido para ele, já que havia lhe prometido uma chance de retornar à equipe quando começasse a Série B. Desta forma, o técnico, na entrevista coletiva concedida nesta sexta-feira (12), deu a sua versão dos fatos. Ressaltou o respeito que tem pelo ídolo leonino, mas disse que não tinha feito a promessa de colocá-lo de volta como titular. 

“Deixar bem claro que eu não mudo uma vírgula do que disse de Magrão até aqui. O meu respeito pelo cidadão Alessandro Beti, e o meu respeito pelo atleta Magrão, por todas as suas conquistas no clube. Só para passar numa maneira bem clara a forma que a gente conduz as coisas aqui, que a gente trabalha em cima de desempenho e procura ser o mais sensato possível. Ele, durante o tempo que esteve aqui trabalhando, sempre teve uma postura profissional e eu não tenho o que falar dessa postura”, iniciou o comandante, deixando claro o seu método avaliativo para escalar um atleta em detrimento a outro no elenco. Questão de critério.

“Até este momento era a espera de uma oportunidade, já que o Mailson, que entrou, acabou sendo um dos destaques do Campeonato Pernambucano. E agora, na parada da Copa América, tinha a estatística de ser o goleiro que mais faz defesas difíceis dentro da competição. Em cima disso aí, de um treinador que trabalha em cima de desempenho, por mais ídolo que seja , e eu respeito muito o ídolo e suas conquistas, eu não tenho como mexer no momento do menino. Está sendo momento do Mailson, e acho que qualquer tipo de mexida seria de menos valia para Mailson. E uma mexida desnecessária, por mais ídolo e respeito que eu tenha pelo atleta Alessandro Beti, Magrão”, acrescentou Guto.

Magrão iniciou o ano em nível muito abaixo do que já havia apresentado no Sport. Voltando de uma fratura no braço na reta final da Série A de 2018, o goleiro teve poucos dias de preparação na pré-temporada - para quem estava há quatro meses parado. Com Milton Cruz, voltou a ser acionado entre os titulares e foi mal. Teve várias falhas em gols sofridos pelo Leão no começo do ano, sendo marcado pelos erros na eliminação da Copa do Brasil para o Tombense-MG. 



VERSÃO DO PREPARADOR DE GOLEIROS

Corroborando com o que foi dito por Guto Ferreira, avaliando a questão de desempenho e preparação, o preparador de goleiros do Sport, Júnior Matos, deu a sua avaliação do caso. Contou que já havia conversado como treinador sobre como estava o desempenho do goleiro e que faria um trabalho específico para que Magrão voltasse a atingir um bom nível. Entretanto, com a grande fase de Mailson, o experiente arqueiro teve que ficar no banco, esperando por uma chance que não veio. 

“Assim que o professor Guto chegou no clube, ele teve preocupação de me procurar e saber como estava Magrão, e como ele estava fisicamente e tecnicamente. Eu passei para ele tudo que havia acontecido na gestão anterior e a precipitação que houve. O Magrão passou quatro meses parado e, com duas semanas de treino, voltou a jogar. Foi até contra a minha vontade, falei com o Milton (Cruz) na época, mas a gente entendendo o momento que o grupo era jovem ele estava disposto a ajudar e foi no sacrifício, mas a gente sabia o risco que era ele jogar com 14 dias só de preparação”, comentou o preparador de goleiros do Sport.

“E ele não foi bem, houve as falhas. E eu disse que iria prepará-lo, porque conheço Magrão há muito tempo. Ele sempre começa o ano ‘se arrastando’ e depois que pega o embalo, vai bem até o fim do ano. Guto disse que no futuro iria precisar utilizá-lo, mas não estipulou data”, concluiu Júnior Matos.





Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.
Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM