Jornal do Commercio
Análise
SÉRIE B

Com gramado da Ilha encharcado, Sport fica no 0x0 com o Brasil-RS

O time rubro-negro chegou aos 18 pontos e ocupa temporariamente a 5ª colocação

Publicado em 22/07/2019, às 21h59

Sport fica no empate em 0x0 contra o Brasil de Pelotas / Foto: Bobby Fabisak/ JC Imagem
Sport fica no empate em 0x0 contra o Brasil de Pelotas
Foto: Bobby Fabisak/ JC Imagem
Filipe Farias
Twitter: @_filipefarias

Com o gramado da Ilha do Retiro bastante castigado por conta da chuva que caiu nesta segunda-feira (22) no Recife, o Sport não conseguiu superar o Brasil de Pelotas e ficou no 0x0, na abertura da 11ª rodada da Série B. Com o terceiro empate consecutivo na competição, o Leão chegou aos 18 pontos, mas desperdiçou a chance de entrar no G-4 da Segundona - ocupa a 5ª colocação, mas pode perder algumas posições no complemento da rodada.

Os rubro-negros voltam a campo na próxima sexta-feira, quando encaram o Paraná, no estádio Durival de Brito, em Curitiba.

O JOGO

Apesar da incerteza quanto a realização da partida entre Sport x Brasil de Pelotas - por conta da chuva -, a bola rolou na Ilha do Retiro. Na verdade, a arbitragem deu autorização para acontecer o jogo, mas rolar mesmo a bola mal rolou. Com o campo rubro-negro bastante encharcado, as duas equipes tinham dificuldades para trocar passes. Mesmo assim, o time gaúcho se adaptou rapidamente as condições desfavoráveis do gramado.

Com jogadores mais fortes em campo, o Brasil-RS rapidamente tomou conta do jogo nos primeiros minutos, ocupando o setor defensivo na tentativa de incomodar o goleiro Maílson. Já o Sport não conseguia concatenar as jogadas e tinha muita dificuldades para entrar na partida, insistindo bastante nas ligações diretas, com chutões da zaga para o ataque. Pior, fazia faltas bobas e dava oportunidades para o time Xavante levantar a bola na área leonina.

Somente depois dos 25 primeiros minutos que o Leão começou a entender como se encontrar na partida. Tanto que, a primeira chance real de gol foi rubro-negra. Aos 28, Juninho puxa contra-ataque e lança para Hyuri que abria pela direita, mas o passe foi forte demais e o atacante teve de se jogar para chegar na bola e já ajeitar para quem vinha detrás. Elton tentou o domínio, mas acabou furando. O próprio Juninho se antecipou da marcação e chutou com perigo para a boa defesa de Carlos Eduardo.
Não demorou muito para o goleiro do Brasil-RS fazer nova intervenção importante. Aos 34, Guilherme cobrou falta levantando na área, Yago subiu para cabecear e Carlos Eduardo saltar e mais uma vez salvar o time gaúcho.

Na volta para a etapa complementar, o Sport já apresentava uma postura mais dominante e logo assustou o Brasil-RS. Aos nove, Guilherme cobra falta, Hyuri desvia de cabeça... Com a bola ainda no alto, Rafael Thyere ajeita para Yago emendar um voleio, mas pega em baixo e a bola sobe demais.



Aos 13, após nova bola alçada na área Xavante, Elton sobe para disputar com o goleiro Carlos Eduardo e, na sobra, o centroavante rubro-negro não aproveitou a bobeada da zaga adversária e acabou finalizando para fora. Sendo que a blitz do Leão seguia firme. Desta vez foi Guilherme, aos 19, que chutou com perigo de fora da área, com a bola passando muito perto do travessão do Brasil de Pelotas.

Com muito mais volume de jogo, o Leão encurralava o Brasil-RS em seu campo defensivo. Aos 26, Yan individualiza a jogada e dispara sozinho pelo meio e chuta de longa distância... Carlos Eduardo espalma para frente e, no rebote, o próprio Yan arrisca novamente e, mais uma vez, o goleiro Xavante salva espalmando para escanteio.

Mesmo com a insistência rubro-negra, o placar seguiu inalterado: 0x0.

Ficha do jogo

SPORT

Maílson; Norberto, Rafael Thyere, Adryelson e Guilherme Lazaroni; Yago (Hernane), Charles e Guilherme; Hyuri (Yan), Juninho (Ezequiel) e Elton. Técnico: Guto Ferreira.

BRASIL-RS

Carlos Eduardo; Ricardo Luz, Bruno Aguiar, Leandro Camilo e Ednei; Leandro Leite, Carlos Jatobá, Diogo Oliveira (Washington); Braquinho (Cristian), Bruno Paulo e Rafael Grampola (Daniel Cruz). Técnico: Bolívar.

Local: Ilha do Retiro.
Árbitro: Douglas Marques das Flores (SP).
Assistentes: Daniel Luis Marques e Daniel Paulo Ziolli (ambos de SP).
Cartões amarelos: Guilherme Lazaroni (SPO) e Ricardo Luz e Bruno Paulo (BRA).
Público: 9.362.
Renda: R$ 120.461,00.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM