Jornal do Commercio
RMR

Aldeia atrai quem quer fugir do caos urbano

Bairro fica a 40 minutos do Recife e tem principalmente condomínios horizontais

Publicado em 05/02/2015, às 09h07

Casa de Alfredo Cavalcanti é fruto de um sonho de 14 anos / Fernando da Hora/JC Imagem
Casa de Alfredo Cavalcanti é fruto de um sonho de 14 anos
Fernando da Hora/JC Imagem
JC Imóveis

A imagem bucólica de uma casa cercada de área verde e barulho de pássaros é o principal atrativo de Aldeia, bairro que se estende principalmente no limite entre o Recife e Camaragibe e que há muito tempo deixou de ser destino de fim de semana. Hoje, a área é endereço fixo de muita gente que deixou a capital e “subiu” para uma paisagem mais amena. Atento a esse movimento, o mercado imobiliário investe na área: pelo menos dois empreendimentos estão vendendo terrenos prontos para receberem casas de condomínio horizontal, o formato mais comum na região.

De acordo com a Prefeitura de Camaragibe, o bairro de Aldeia abriga cerca de 20 mil habitantes. Entre eles, está o empresário José Alfredo Cavalcanti, 55 anos. Morador de Aldeia há um ano, ele está vivendo um plano que começou no início dos anos 2000. Alfredo tinha uma casa no bairro, onde passava os fins de semana. “Eu gosto muito daqui e fui me programando para poder um dia morar”, conta Alfredo, que hoje é vizinho de um pedaço de mata atlântica e de um pequeno bosque. “Resolvi tirar o pé do acelerador e viver mais. E qualidade de vida é aqui.”

A cerca de 40 minutos de carro a partir do Recife, Aldeia conta infraestrutura de comércio e serviços já instalada, como supermercados, restaurantes, academias de ginástica e escolas. Esse contexto fez com que a LMA Empreendimentos investisse na região.


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas

A empresa lançou recentemente o Raízes de Aldeia, no km 12,5 da Estrada de Aldeia (PE-27). O condomínio tem 215 lotes, entre 600 m² e 900m², com preços a partir de R$ 180 mil. Instalado em um terreno de 32 hectares – dos quais 82% serão preservados como área verde –, o empreendimento contará com estrutura de lazer com itens como brinquedoteca, quadras de tênis, horta e pomar comunitários, área de skate, complexo aquático com 700 m², ciclofaixa, anfiteatro, redário e um petplace, área para treinamento de cães.

Segundo o presidente da LMA Empreendimentos, Leonardo Albuquerque, o interesse da empresa se deu por Aldeia ser um ambiente saudável e ecológico próximo do Recife. “Muita gente quer sair do caos sem perder o contato com o ambiente urbano”, comenta o empresário. Ele diz que o bairro está com uma baixa disponibilidade de terrenos grandes, como o do Raízes de Aldeia, uma vez que esse formato requer áreas extensas e tem alto índice de preservação de área verde. Contudo, ele assegura que a LMA continuará atenta a terrenos menores que possam ser unidos para formação de novas áreas.

PREÇO - Atuante no mercado imobiliário de Aldeia há 18 anos, a diretora da Aldeia Imóveis, Luciana Fitipaldi, destaca que os valores investidos por quem quer morar em Aldeia ficam abaixo dos preços médios de áreas nobres no Recife, onde variam entre R$ 5.500 e R$ 7.000. Em uma conta simples, ela mostra que mesmo em um terreno de valor mais alto, de R$ 200 mil por 200 m², quando se soma o orçamento médio de construção de uma casa, entre R$ 500 mil e R$ 600 mil, o valor total por m² fica entre R$ 3.500 e R$ 4 mil.



Além de fazer as vendas de oito lançamentos recentes no bairro, a imobiliária e incorporadora está com um lançamento próprio, o Açude da Pedra, que fica no município de Paudalho, por onde Aldeia também se estende. Instalado no km 24 da Estrada de Aldeia, Com 55 ha, sendo 30 ha de mata atlântica preservada, o empreendimento tem 240 lotes com tamanhos entre 600 m² e 700 m², com valores a partir de R$ 126 mil e parcelamento em até 100 meses.

Palavras-chave




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Reencontros Reencontros
A menina que salvou os livros numa enchente, o garoto que venceu a raiva humana, o médico que superou a pobreza, os albinos de Olinda e o goleiro de uma só perna foram personagens do projeto Reencontros, publicado em todas as plataformas do SJCC
Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM