Jornal do Commercio
Violência

Dilma diz que espera punição para culpados por morte de garoto no Rio

O garoto de 10 anos foi a quarta vítima fatal no Complexo do Alemão em 24 horas

Publicado em 03/04/2015, às 15h59

Presidente Dilma Rousseff disse esperar que sejam esclarecidas as circunstâncias da morte do garoto Eduardo de Jesus Ferreira / Foto: EVARISTO SA / AFP
Presidente Dilma Rousseff disse esperar que sejam esclarecidas as circunstâncias da morte do garoto Eduardo de Jesus Ferreira
Foto: EVARISTO SA / AFP
Da ABr

A presidente Dilma Rousseff afirmou nesta sexta-feira (3) esperar que sejam esclarecidas as circunstâncias da morte do garoto Eduardo de Jesus Ferreira, 10. Ele foi alvo de um tiro de fuzil na cabeça durante operação do Batalhão de Choque da PM no Complexo do Alemão, zona norte do Rio.

Em nota divulgada, a presidente prestou solidariedade aos familiares do garoto e disse aguardar a punição para os culpados.

"Quero expressar minha solidariedade e sentimentos de respeito neste momento de dor a Terezinha Maria de Jesus, que perdeu o filho Eduardo de Jesus Ferreira, de 10 anos, no Complexo do Alemão. Espero que as circunstâncias dessa morte sejam esclarecidas e os responsáveis, julgados e punidos", diz a nota.



A doméstica Terezinha Maria de Jesus, 40, acusou nesta sexta a polícia pela morte de seu filho. O garoto de 10 anos foi a quarta vítima fatal no Alemão em 24 horas.

A morte ocorreu na localidade identificada como Areal. Num filme registrado por moradores da comunidade, policiais armados com fuzil são acusados pela execução da criança. O menino vestia apenas um calção azul e estava sem camisa.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

JC 100 anos JC 100 anos
Para marcar os 100 anos de fundação, o JC publica este especial com um panorama do que se passou neste período em que o jornal retratou o mundo, com projeções de especialistas sobre o que vem por aí e com os bastidores da Redação do Jornal do Commercio
Sozinha nasce uma mãe Sozinha nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM