Jornal do Commercio
POLÊMICA

Suposta professora simula sexo oral em aluno e gera polêmica na web

Alexandre Frota e o deputado estadual Flávio Bolsonaro criticaram as imagens

Publicado em 06/12/2017, às 19h15

Vídeo foi gravado por um dos alunos durante o que parece ser uma aula sobre educação sexual / Foto: Reprodução
Vídeo foi gravado por um dos alunos durante o que parece ser uma aula sobre educação sexual
Foto: Reprodução
JC Online

Um vídeo polêmico está circulando nas redes sociais nesta quarta-feira (6). Nas imagens, uma mulher, supostamente professora da Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia, ensina os alunos a colocarem uma camisinha, usando a boca, em um pênis artificial. No entanto, o que seria apenas mais uma aula de educação sexual, causou polêmica e recebeu muitas críticas ao mostrar a professora usando um de seus alunos como modelo. 

No vídeo, filmado por um dos alunos, a professora inicia falando que irá fazer uma demonstração, enquanto vários estudantes ficam ao redor e aguardam. A mulher então coloca a caminha na boca, em meio a gritos e risadas, abaixa-se, posicionando-se em frente a um estudante que está com o pênis artificial amarrado na cintura, e coloca o preservativo no objeto, usando a boca. Os alunos em volta riem, aplaudem e gritam, enquanto a professora volta à posição normal.

Repercussão 

Nas redes sociais, muitas pessoas criticaram o método de ensino da suposta professora. O deputado estadual do Rio de Janeiro, Flávio Bolsonaro (PSC), postou o vídeo no Twitter e questionou o que viu nas imagens. 

O ator Alexandre Frota também compartilhou o vídeo e comentou sobre as imagens: "Vejam isso em uma escola Professora ensina alunas a colocarem camisinha. Até aí vamos considerar tudo bem. Porém vejam como foi a aula", disse em uma postagem feita no Facebook.

Até o momento, nem a Universidade Estadual do Sudoeste da Bahia nem a Secretaria de Educação do Estado se pronunciaram sobre o assunto.


Recomendados para você


Comentários

Por ELIO,17/01/2018

ESTA MULHER DEVE SER EXPULSA E BANIDA DE TODAS AS ESCOLAS DO MUNDO....

Por Damaris Gomes Maranhão ,08/12/2017

Prezados senhores, tenho 64 anos, fui professora de enfermagem por 17 anos, enfermeira especialista em Saúde Pública, Dra em Ciencias em Saúde. Essa professora segundo minha pesquisa na internet, antes de julgar como tem sido usado o video a favor do movimento Escola Sem Partido, é uma colega, professora de enfermagem em uma universidade e não de escola de ensino fundamental e médio. Pelo que entendi e pesquisei essa tecnica é usada, embora eu critique a erotização com o aluno em pé, sobretudo para ensinar as profissionais do sexo como se proteger aproveitando o erotismo do sexo oral para colocar a camisinha no parceiro que se recusa a faze-lo. Não estou discutindo aqui se esta é uma tecnica correta, ou deve ser combatida, tanto pela erotização da "aula", como pelo risco apontado por um andrologista sobre impactar na integridade do preservativo. Isso para evitar o crescente aumento de doenças sexualmente transmissiveis, inclusive entre meninas e meninos pre-adolescentes, que brincam nos bailes funks. E comum os enfermeiros ouvirem que o pai da criança é o "paredão". Como formar enfermeiros que saibam lidar com a propria sexualidade e com a do outro? Enfermeiros tem que lidar com pacientes em PS que inseriram o vibrador no anus e não conseguem retira-lo mais, vejam inclusive esses fatos em videos sobre Medicina Extraoordinaria. Por sua vez, as doenças e mazelas sociais, repercutem nas crianças recem nascidas com sifilis, por exemplo, ou com o virus da AIDS. Isso porque os homens continuam servindo-se de serviços sexuais, e de forma irresponsavel não se protegem, nem as suas esposas recatadas e do lar. Eu tambem fiquei chocada a primeira vista, mas e preciso contextualizar, e se for para penalizar a colega, seria o caso de alerta-la e aos outros profissionais de saúde, que é preciso garantir que determinadas aulas não poderiam ser filmadas e expostas na midia social, com risco de tornar-se um escândalo usado de forma irresponsavel pela guerra politica. Mas vamos parar de ser hipocritas e pesquisar antes de julgar, como fiz. Desde a origem da vida o sexo não serviu apenas a procriação, veja a historia da sedução de Eva, mas repercute nela. Ou seja, os enfermeiros convivem com recem nascidos lesados por sifilis, com risco de ter HIV, etc, etc. As vezes no curso de enfermagem precisamos preparar os alunos para lidar com a vida como ela é, gostem ou não. Os profissionais precisam se preparar para cuidar das pessoas nas mais diversas condições de existencia, na saude e na doença. Entretanto considero importante tambem que se investigue mais cientificamente e se estude melhores medotologias educacionais para evitar esse choque cultural. Damaris Gomes Maranhão

Por Álvaro,07/12/2017

Poxa!! Esse aluno está totalmente preparado para fazer nota 1000 na prova do ENEM, depois de uma aula dessa,nem precisa ir pra cursinhos ou pré-vestibular.Essa professora ( se isso é professora) deve estar buscando conhecimentos em sites pôrnografico. Estamos precisando de pessoas inteligentes pra chegar ali no parlamento e fazer uma mudança inteligente para melhoria do povo,não pessoas com pensamentos banalizados.Precisamos de pessoas que desenvolvam tecnologia revolucionária,não de pessoas que nos levem a escravidão da mente vazia e reverssão de valores morais.E o pulso ainda pulsa...

Por Nereu,07/12/2017

Haroldo.... o vídeo é de uma professora hétero.... ensinando héteros usarem a camisinha.... Você e seu veneno.... preconceito.... burrice...... imbecilidade..... Só gays, lésbicas e similares (sei lá que merda é essa) são promíscuos? Os héteros são verdadeiros santos não é não...? Antes que eu me esqueça.... vá tomar no devido buraco traseiro.

Por Ibrahim correa,07/12/2017

Para o leitor Haroldo é culpa dos petistas... é de lascar.... safadeza já existia desde o império romano e sua sociedade da época,leia a preocupação do apóstolo Paulo na carta aos romanos.... Antigamente as conversas nas oficinas mecânicas era só safadeza e putaria... Com o "desenvolvimento " da sociedade tecnológica o que não presta é divulgado e curtido com naturalidade...o que público o que é privado não há distinção. Com a família desestruturada o que resta é isso... Por outro lado, se esta coisa é mesmo professora,deve-se ao fato que na educação formal de hoje o ensino puramente teórico cientifico é tido como ultrapassado, os alunos querem um ensino diferente,mais prático,aí a "professora" foi longe demais...



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada
Cantos e Recantos Cantos e Recantos
A temporada de sol está nos espreitando, e a Praia de Boa Viagem é sempre uma opção de passeio. Mas que tal ousar um pouquinho na quilometragem e desbravar outros destinos? Pernambuco tem muitos lugares fantásticos e você vai adorar o roteiro que o JC fe

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM