Jornal do Commercio
Fortaleza

Socorrista do Samu demitido após selfie explica o motivo da foto

'A vítima nem foi identificada, o rosto dele não apareceu. Ele já estava no hospital quando a foto foi feita', justifica socorrista do Samu

Publicado em 13/06/2018, às 20h55

"Era meu sonho ser do Samu", disse o socorrista
Foto: Arquivo Pessoal/Reprodução
De Lucas Braga do jornal O Povo
Para o Rede Nordeste

O socorrista do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) que fez selfie durante atendimento foi demitido nessa segunda-feira (11). A foto foi feita no dia 8 de maio, em Alto Santo, município distante 241 quilômetros de Fortaleza.

Manoel Ferreira Gomes, 39, que era funcionário terceirizado do Samu, fez o registro durante socorro a vítima de acidente automobilístico. O procedimento era feito por profissionais da Unidade de Suporte Avançado (USA), já no hospital local. O POVO Online informou à época que se tratava de reanimação da vítima após parada cardiorrespiratória.

O ex-socorrista procurou O POVO Online nesta terça-feira (12) para relatar sua versão do caso. Manoel frisou que o paciente não mais estava em seus cuidados, mas sim dos colegas da USA.

"A vítima nem foi identificada, o rosto dele não apareceu. Ele, que estava acompanhado do irmão, já estava no hospital, quando a foto foi feita. Eu só estava auxiliando", conta.



Manoel refutou também a informação sobre a parada cardiorrespiratória. "A vítima estava sendo entubada e não reanimada. Foi tudo distorcido. Meu interesse era mostrar o trabalho da equipe e não expor o paciente. Agora eu sei que é errado, mas isso não passou pela minha imaginação, no momento".

Ainda em maio, o Samu repudiou o registro e a veiculação de qualquer imagem que permita a identificação do paciente e que possa atrapalhar o socorro prestado pelos profissionais.

Após apuração interna, a empresa terceirizada Servnac, que presta serviços ao Samu, demitiu Manoel por justa causa. Ele lamentou a foto e diz ter se arrependido do registro. "Era meu sonho ser do Samu. Só Deus sabe quantas noites de sono eu perdi depois dessa maldade (denúncia) que fizeram comigo. Trabalhei só quatro meses e fui demitido depois da repercussão", finaliza.

Leia a matéria completa no site do O Povo clicando aqui.


Palavras-chave


Comentários

Por Nelson,14/06/2018

Agora aprende, tem que prestar atenção ao serviço e ter respeito.

Por Isaac,14/06/2018

Onde se visualiza os comentários? Eu fiz um num artigo e não consegui ver. Não existem comentários ou eles não são publicados?



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM