Jornal do Commercio
Campina Grande

Vítimas feridas por agulhas no São João não estão infectadas

HIV, Hepatite e Sífilis foram algumas das doenças investigadas nas 29 vítimas feridas por agulhas no São João de Campina Grande

Publicado em 13/06/2018, às 11h33

Segundo a infectologista, mesmo com os resultados negativos nos exames, o tratamento continua / Fotos: Leonardo Silva
Segundo a infectologista, mesmo com os resultados negativos nos exames, o tratamento continua
Fotos: Leonardo Silva
JC Online

Subiu para 29 o número de pessoas atendidas no Hospital de Trauma de Campina Grande, entre a sexta-feira (8) e esta quarta-feira (13), alegando terem sido furados com agulhas durante festividade do São João de Capina Grande, no agreste da Paraíba. Das vítimas, 19 são homens e 10 são mulheres.

A médica infectologista Jacqueline Milfont, em entrevista ao Portal T5, explicou que as vítimas estão sendo examinadas e medicadas. Até o final da manhã desta terça-feira (12), não havia registros de pessoas que tenham sido contaminadas com algum tipo de vírus presentes nas agulhas.



HIV, Hepatite e Sífilis foram algumas das doenças investigadas. Segundo Jacqueline, mesmo com os resultados negativos às doenças divulgadas, o tratamento continua: “Muito pelo contrário, seguimos vigilantes, acompanhando a evolução do quadro”.

Suspeita

Segundo a Polícia Militar, na madrugada desta quarta-feira (13), uma mulher foi detida portando tesoura e seringas durante a apresentação do cantor Luan Santana, no Parque do Povo. Ela foi encaminhada para a Central de Polícia e liberada após informar que trabalha com piercings e, por isso, estava portando o material.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada
Cantos e Recantos Cantos e Recantos
A temporada de sol está nos espreitando, e a Praia de Boa Viagem é sempre uma opção de passeio. Mas que tal ousar um pouquinho na quilometragem e desbravar outros destinos? Pernambuco tem muitos lugares fantásticos e você vai adorar o roteiro que o JC fe

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM