Jornal do Commercio
INVESTIGAÇÃO

Jungmann: PF vai investigar quem estaria atrapalhando caso Marielle

O ministro Raul Jungmann anunciou que a PF vai investigar grupo criminoso articulado para impedir investigações do assassinato de Marielle

Publicado em 01/11/2018, às 17h04

No início do caso, Jungmann chegou a oferecer ajuda da Polícia Federal mas o Estado do Rio não aceitou / Foto: Reprodução/ Facebook
No início do caso, Jungmann chegou a oferecer ajuda da Polícia Federal mas o Estado do Rio não aceitou
Foto: Reprodução/ Facebook
Estadão Conteúdo

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, anunciou nesta quinta-feira (1º) que a Polícia Federal irá investigar a existência de um grupo criminoso articulado para atrapalhar e impedir as investigações que tentam elucidar o assassinato da vereadora Marielle Franco e seu motorista, Anderson Gomes, ocorrido no Rio de Janeiro em março.

O pedido de atuação da PF foi feito nesta quinta pela procuradora-geral da República, Raquel Dodge, com base em depoimentos colhidos pelo órgão de duas pessoas que estariam ligadas ao crime.

"As denúncias são extremamente graves, precisa ser investigado", afirmou Jungmann. O ministro, no entanto, não quis dar informações sobre quem seriam essas pessoas e qual o grau de confiabilidade de seus testemunhos. O ministro disse apenas que os depoimentos foram colhidos há cerca de um mês por procuradores federais.



O ministro solicitou à PF a instauração de inquérito policial para apurar o envolvimento de agentes públicos, de milicianos e de contraventores que estariam atuando em conjunto para obstruir as investigações que hoje são conduzidas pela Polícia Civil do Rio e pelo Ministério Público do Estado.

Ajuda negada

No início do caso, Jungmann chegou a oferecer ajuda da Polícia Federal mas o Estado do Rio não aceitou. A PF chegou a prestar ajuda nas apurações, mas não teve participação direta. De acordo com o ministro, não há prazo para a conclusão desta nova investigação. Ele explicou também que a Polícia Federal não entrará no espectro da investigação que tenta elucidar quem foram os mandantes do crime e quem o executou.

Jungmann, no entanto, afirmou que a PF vai trabalhar em conjunto com os agentes que já investigam o caso e que as duas frentes podem se ajudar.

"Se essa investigação (da PF) levar luz sobre quem matou, é uma possibilidade, mas não é esse o objeto. Mas não tenha dúvida que terá que proceder em cooperação", disse.





Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM