Jornal do Commercio
INVESTIGAÇÃO

Interventor diz não buscar protagonismo em solução do caso Marielle

O general Walter Souza Braga Netto disse que não anunciou o nome dos suspeitos da execução porque não busca protagonismo

Publicado em 11/01/2019, às 21h45

Crime contra a vereadora Marielle e o motorista Anderson completa um ano em 14 de março / Foto: Fernando Frazão/Agencia Brasil
Crime contra a vereadora Marielle e o motorista Anderson completa um ano em 14 de março
Foto: Fernando Frazão/Agencia Brasil
Estadão Conteúdo

Ainda interventor federal na Segurança do Rio, o comandante militar do Leste, general Walter Souza Braga Netto, disse nesta sexta-feira (11) que não anunciou o nome dos suspeitos da execução da vereadora Marielle Franco (PSOL), crime que completa um ano em 14 de março, porque não busca protagonismo. Ele admitiu ter frustração pelo fato de a investigação não ter sido concluída durante seu período no comando da Segurança Pública do Estado.

"Lógico que eu gostaria de ter entregado o caso, mas o próprio novo chefe de Homicídios (delegado do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa) deu uma entrevista dizendo que já tomou conhecimento e viu que está muito adiantado (o trabalho de investigação). Nós fizemos todo um trabalho. Nós não procuramos protagonismo. Eu poderia ter anunciado quem a gente acha que foi, dito ao Richard (Nunes, ex-secretário de Segurança) para anunciar. Mas a gente quis fazer um trabalho profissional. Tenho confiança que se mantiver as equipes que estavam na investigação vão chegar a um resultado em breve", disse o general de Exército.



Funções administrativas

Embora o decreto presidencial de intervenção tenha se encerrado em 31 de dezembro, Braga Netto ainda desempenha funções administrativas, na gestão de contratos e do legado da intervenção, fase que será concluída em junho. Ele deve assumir uma nova função em Brasília, a ser definida em fevereiro. O general, por isso, será substituído na gestão burocrática do legado, o que inclui entregas de equipamentos.

"Eu não mais comando as forças de segurança, mas fico interventor para publicar atos oficiais", disse o general.

Braga Netto já manteve reuniões com o novo governador do Rio, Wilson Witzel, e elencou a ele dez prioridades para a área de segurança - ele não quis comentar quais.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Sozinhas nasce uma mãe Sozinhas nasce uma mãe
Uma palavra se repete na vida dela: sozinha. Porque estava sozinha na gravidez. Sozinha na hora do parto. Sozinha nas primeiras noites de choro. Sozinha nos primeiros passos. Sozinha no registro civil. O JC conta histórias de luta das mães sozinhas
Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.
Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM