Jornal do Commercio
MAIS MÉDICOS

Mais de 1,4 mil vagas de médicos cubanos não são preenchidas por brasileiros

O número representa cerca de 16% dos postos de trabalho deixados pelos estrangeiros em novembro, quando Cuba rompeu o convênio com o Brasil

Publicado em 11/01/2019, às 17h00

Do total de postos não preenchidos, 842 nem sequer tiveram inscritos / Foto: Karina Zambrana /ASCOM/MS
Do total de postos não preenchidos, 842 nem sequer tiveram inscritos
Foto: Karina Zambrana /ASCOM/MS
Estadão Conteúdo

Mais de 1,4 mil vagas deixadas pelos cubanos no programa Mais Médicos não foram preenchidas por profissionais brasileiros, mostra balanço divulgado nesta sexta-feira (11), pelo Ministério da Saúde. O número representa cerca de 16% dos postos de trabalho deixados pelos estrangeiros em novembro, quando Cuba rompeu o convênio com o Brasil.

As 1,4 mil vagas ficaram sem interessados mesmo após a realização de dois editais para médicos com CRM Brasil. Do total de postos não preenchidos, 842 nem sequer tiveram inscritos. Outros 620 registraram interessados, mas, após a inscrição, os médicos não compareceram às unidades de saúde no período determinado, que terminou nesta quinta-feira (10).



Oportunidade

Agora, o Ministério da Saúde abrirá as vagas ociosas para brasileiros ou estrangeiros formados no exterior que não revalidaram o diploma e, portanto, não têm registro profissional no Brasil.

Segundo cronograma divulgado pela pasta, os brasileiros formados fora do País poderão escolher as vagas nos dias 23 e 24 de janeiro. Depois, nos dias 30 e 31 de janeiro, médicos estrangeiros poderão entrar no sistema e selecionar um município com vagas abertas para trabalhar.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM