Jornal do Commercio
FACÇÃO CRIMINOSA

Sobe para 15 o número mortos em ação da PM em morro no Rio de Janeiro

Os moradores encontraram dois corpos na mata. Segundo a polícia, os dois rapazes foram presos na sexta-feira e estavam desaparecidos

Publicado em 12/02/2019, às 13h29

Segundo a PM, 13 foram mortos no confronto e alguns conseguiram escapar. / Foto: Reprodução/Google Street View
Segundo a PM, 13 foram mortos no confronto e alguns conseguiram escapar.
Foto: Reprodução/Google Street View
Estadão Conteúdo

Subiu para 15 o número de mortos em ações da Polícia Militar em morros do Rio. A operação do Batalhão de Choque e do Batalhão de Operações Especiais, tropas de elite da PM, havia deixado 13 mortos no Morro do Fallet, no Rio Comprido, região central do Rio de Janeiro, na última sexta-feira (8). Moradores da comunidade, no entanto, encontraram mais dois corpos no domingo (10).

A ação da PM também se estendeu por comunidades vizinhas, como Coroa e Fogueteiro, no mesmo bairro, e também ao Morro dos Prazeres, em Santa Teresa. A Defensoria Pública do Rio vai acompanhar e dar assistência às famílias dos mortos no Fallet.

A mãe de uma das vítimas, Tatiana Antunes de Carvalho, foi ao Ministério Público do Rio e pediu ajuda. Segundo ela, os rapazes foram executados e não houve troca de tiros. O filho dela, Felipe Guilherme Antunes, de 21 anos, teria morrido a golpes de faca, sem levar nenhum tiro.

"Eles mataram todo mundo. Barbarizaram a comunidade à toa, à toa Eles são assassinos. Não foi só o meu filho, não. Eu preciso de Justiça, meu Deus. Eles mataram meu filho de faca. Eles são covardes", afirmou Tatiana, que também é tia de Enzo Carvalho, outra vítima da ação policial.

"Eles (os policiais) não pegaram o menino com nada. Não importa o que eles eram. Eles tinham que prender. Meu filho não tinha um tiro. Não teve troca de tiro nenhuma. Meu filho morreu a facada. Quebraram o crânio dele, quebraram o pescoço do meu filho", afirmou Tatiana, segurando o atestado de óbito de Antunes. "Eles não têm direito de chegar na comunidade e fazer o que eles fizeram. Eles não tinham mandado nenhum para sair matando. Eu vou até o final. Não vou me calar."

Ação

Após uma informação recebida pelo Disque-Denúncia de que vários criminosos estavam escondidos em uma casa na Rua Eliseu Visconti, no Morro do Fallet, policiais do Batalhão de Choque cercaram a residência e invadiram o local. Na casa, estavam 20 jovens, alguns deles menores de idade. Segundo a PM, 13 foram mortos no confronto e alguns conseguiram escapar.

Os corpos das vítimas foram levados em um carro aberto do Batalhão de Choque para o Hospital Municipal Souza Aguiar, no centro da cidade. Os médicos de plantão disseram que os jovens já chegaram sem vida ao hospital. Dois foram levados feridos e operados na unidade de saúde e permanecem internados.



Em nota, a PM informou que os jovens que estavam na casa "reagiram à voz de prisão" e atiraram contra os militares. "No confronto, 13 bandidos ficaram feridos e foram levados para o Hospital Municipal Souza Aguiar, na região central da cidade", diz o texto.

"Desde a madrugada, as equipes policiais atuam nas comunidades devido a tiroteios na região, provocados por disputa entre grupos criminosos. A partir de denúncias e informações do Setor de Inteligência, foi feita uma varredura em alguns pontos da comunidade do Fallet, nesta manhã. Policiais do Choque foram recebidos a tiros e houve confronto. Após cessarem os disparos, dez criminosos feridos foram encontrados em vias da comunidade e foram socorridos para o Hospital Municipal Souza Aguiar", informou a assessoria da PM.

Em Santa Teresa, no Morro dos Prazeres, a PM informou que policiais do Bope apreenderam duas pistolas automáticas, dois rádios comunicadores e um aparelho telefônico após confronto com criminosos. Duas pessoas encontradas feridas foram levadas pela PM também para o Hospital Souza Aguiar.

No domingo, moradores encontraram mais dois corpos na mata: Matheus Lima Diniz, de 22 anos, e Michel da Conceição de Souza, de 20, mortos a tiros. Eles disseram que os dois rapazes foram presos na sexta-feira e estavam desaparecidos.

Defensoria Pública

Nesta terça-feira, 12, representantes da Defensoria Pública vão participar de encontro, na Associação de Moradores do Fallet, com parentes das vítimas e testemunhas da ação da PM para tomar conhecimento de todos os detalhes das mortes na comunidade e avaliar as medidas de assistência que serão tomadas.

O ouvidor-geral da Defensoria Pública, Pedro Strozenberg, disse que, por enquanto, as informações não são conclusivas. "Na casa estariam 20 rapazes, sendo que nove morreram e 11 conseguiram fugir, mas foram pegos depois do lado de fora", afirmou. "A polícia diz que houve troca de tiros, e os criminosos reagiram e ocorreram as mortes. Nós vamos lá tomar conhecimento se seria evitável esse número de mortos". (Com Agência Brasil)



Comentários

Por Abdon Abel,12/02/2019

Só?!! Quem se atreve a trocar bala com polícia não pode ter outro fim.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.
Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida
Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM