Jornal do Commercio
Notícia
ACIMA DA MÉDIA

Monitoramento da Nasa mostra aumento de queimadas em Rondônia e no Amazonas

De acordo com a agência espacial norte-americana, os incêndios estão acima da média nesses dois estados

Publicado em 23/08/2019, às 13h45

A temporada seca, que vai de julho a setembro, colabora para o agravamento dos incêndios, ainda segundo a agência / Foto: Lauren Dauphin / NASA Earth Observatory / AFP
A temporada seca, que vai de julho a setembro, colabora para o agravamento dos incêndios, ainda segundo a agência
Foto: Lauren Dauphin / NASA Earth Observatory / AFP
Estadão Conteúdo

O satélite da Nasa que monitora o desmatamento na Amazônia registrou nas últimas semanas uma alta nos incêndios na floresta no Brasil nos meses de julho e agosto, principalmente nos Estados de Rondônia e Amazonas. Segundo a agência espacial norte-americana, nesses dois Estados, os incêndios estão acima da média. No Pará e em Mato Grosso, estão abaixo.

Quando comparada toda a Bacia do Amazonas, que inclui toda a Região Norte do Brasil, além de Maranhão, Mato Grosso, Bolívia, Peru, Colômbia, Venezuela e Guianas, o nível de incêndios está próximo da média histórica.

A temporada seca, que vai de julho a setembro, colabora para o agravamento dos incêndios, ainda segundo a agência. A tendência, também conforme a Nasa, é que as chamas piorem até o fim do mês que vem.

Críticas na imprensa internacional

O aumento do desmatamento na Amazônia provocou críticas da imprensa internacional. Grandes jornais europeus, como o Guardian, o El País e o Le Monde ressaltaram a pressão da comunidade internacional sobre o presidente da República, Jair Bolsonaro, e os riscos que os incêndios na floresta representam para a estabilidade climática do planeta.

"Líderes mundiais pressionam o Brasil para desviar de rota suicida em incêndios na Amazônia", escreveu o Guardian em sua manchete principal.



O premiê britânico, Boris Johnson, divulgou nota na qual disse estar profundamente preocupado com os incêndios e o impacto das chamas na natureza. O primeiro-ministro usará o encontro do G-7 no sábado na França para pedir um foco renovado na proteção da natureza.

O francês Le Monde destacou: "A Amazônia paga pela política do presidente brasileiro". A reação da França foi a mais dura contra o aumento na destruição na floresta equatorial.

Ameaças a Bolsonaro na Europa

O presidente Emmanuel Macron acusou Bolsonaro de mentir sobre sua política climática durante a reunião do G-20 em Osaka em julho e disse que estuda desistir do acordo entre UE e Mercosul

A Irlanda deu declarações no mesmo sentido e a Finlândia, que ocupa a presidência temporária do bloco, ameaçou um embargo à carne brasileira.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM