Jornal do Commercio
Notícia
DESASTRE AMBIENTAL

É como procurar 'agulha no palheiro', diz diretor da Petrobras sobre vazamento

De acordo com Eberaldo de Almeida Neto, Petrobras não tem equipamentos e conhecimento técnico para conter vazamento

Publicado em 25/10/2019, às 16h17

Diante da dificuldade, até agora, a única alternativa continua sendo esperar que a maré e as correntes marítimas empurrem o óleo para as praias. / Foto: Bruno Campos/JC Imagem
Diante da dificuldade, até agora, a única alternativa continua sendo esperar que a maré e as correntes marítimas empurrem o óleo para as praias.
Foto: Bruno Campos/JC Imagem
Estadão Conteúdo

O trabalho de buscar a origem do petróleo para evitar que chegue às praias do Nordeste, como vem acontecendo desde o início de setembro, "é (como procurar) uma agulha no palheiro", segundo diretor de Assuntos Corporativos da Petrobras, Eberaldo de Almeida Neto.

Ele acrescentou que a estatal e demais instituições que atuam para limitar o vazamento estão "partindo para um mundo que não tem controle". Isso porque a Petrobras não tem equipamentos e conhecimento técnico para conter o vazamento de um petróleo com características diferentes do que produz.



Diante da dificuldade, até agora, a única alternativa continua sendo esperar que a maré e as correntes marítimas empurrem o óleo para as praias.

"Ele (o petróleo) vem pelo fundo. Fica praticamente impossível pegar a montante esse óleo", disse Almeida, acrescentando que funcionários da estatal recorreram ao uso de satélites e sobrevoaram o litoral em busca da origem do vazamento, sem sucesso.

Investigações

Até esta sexta-feira, a Petrobras recolheu cerca de 340 toneladas de resíduos nas praias do Nordeste

A Marinha ainda está investigando as causas do acidente ambiental, segundo Almeida.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM