Jornal do Commercio
SÍRIA

Opositora síria e sua filha são encontradas mortas em Istambul

Mãe e filha foram mortas alguns dias atrás e seus corpos foram pulverizados com detergente para disfarçar os odores

Publicado em 22/09/2017, às 14h40

A polícia encontrou os corpos de Arubeh Barakat, de 60 anos, e de sua filha Halla Barakt, de 22, na quinta-feira (21) à noite / Foto: STRINGER / DOGAN NEWS AGENCY / AFP
A polícia encontrou os corpos de Arubeh Barakat, de 60 anos, e de sua filha Halla Barakt, de 22, na quinta-feira (21) à noite
Foto: STRINGER / DOGAN NEWS AGENCY / AFP
AFP

Uma militante da oposição síria e sua filha, uma jornalista, foram encontradas mortas em seu apartamento em Istambul, informou a imprensa turca, enquanto seus parentes denunciaram um "assassinato".

A polícia encontrou os corpos de Arubeh Barakat, de 60 anos, e de sua filha Halla Barakt, de 22, na quinta-feira (21) à noite, depois de receber ligações de familiares, preocupados por não conseguirem entrar em contato com elas, de acordo com as agências de notícias Anadolu e Dogan.

Segundo a Dogan, alguns vizinhos das vítimas, que moravam em Usküdar, na parte asiática de Istambul, afirmaram que as duas foram decapitadas.

De acordo com o jornal Hürriyet, mãe e filha foram mortas alguns dias atrás e seus corpos foram pulverizados com detergente para disfarçar os odores.

"Injustiça e tirania"

A irmã de Arubah Barakat, Shaza, confirmou as mortes no Facebook, afirmando que ambas morreram "nas mãos da injustiça e da tirania".

De acordo com a mesma fonte, Arubeh Barakat se opunha desde a década de 1980 ao regime sírio, primeiro de Hafez Al-Assad e depois de seu filho Bashar, que o sucedeu em 2000.



A família das vítimas acredita que o crime pode estar relacionado à oposição de Arubeh Barakat, segundo um ativista sírio, Rami Jarrah.

A Coalizão Nacional da oposição síria, com sede em Istambul, homenageou as duas mulheres e denunciou "um assassinato atroz", responsabilizando "a mão do terrorismo e da tirania" do regime de Assad.

Riyad Hijab, coordenador do Alto Comitê Sírio de Negociações (HCN), afirmou no Twitter que "o assassino [...] não alcançará seus objetivos". "Pedimos que seja preso e levado à justiça".

Halla Barakat trabalhava para o site Orient News e havia sido empregada no canal de língua inglesa da televisão pública turca (TRT).

Desde o início do conflito na Síria, em março de 2011, quase três milhões de sírios, incluindo numerosos opositores do presidente Bashar Al-Assad e jornalistas, se refugiaram na Turquia.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM