Jornal do Commercio
Recusa

Justiça russa multa Telegram por se negar a cooperar com serviços de segurança

Telegram, um sistema muito popular na Rússia por seu nível elevado de criptografia, terá que pagar 18 mil euros

Publicado em 16/10/2017, às 09h48

O Telegram, que tem dez milhões de usuários na Rússia, tem dez dias para apelar da decisão / Foto: AFP
O Telegram, que tem dez milhões de usuários na Rússia, tem dez dias para apelar da decisão
Foto: AFP
AFP

A justiça russa multou, nesta segunda-feira, o serviço de mensagens Telegram  por se recusar a fornecer aos serviços de segurança russos (FSB) as chaves de criptografia para acessar mensagens de alguns de seus usuários.

Telegram, um sistema muito popular na Rússia por seu nível elevado de criptografia, terá que pagar 800 mil rublos (18 mil euros) porque a empresa não cumpriu o dever de "fornecer informações à polícia", indicou a agência de notícias TASS.



A justiça russa multou, nesta segunda-feira, o serviço de mensagens Telegram  por se recusar a fornecer aos serviços de segurança russos (FSB) as chaves de criptografia para acessar mensagens de alguns de seus usuários.

Telegram, um sistema muito popular na Rússia por seu nível elevado de criptografia, terá que pagar 800 mil rublos (18 mil euros) porque a empresa não cumpriu o dever de "fornecer informações à polícia", indicou a agência de notícias TASS.



A empresa, que tem dez milhões de usuários na Rússia, tem dez dias para apelar da decisão.

O fundador do serviço, Pavel Durov, desafiou em várias ocasiões as autoridades russas e, em setembro, anunciou que havia rejeitado um pedido do FSB.

Documentos

De acordo com documentos publicados pela Durov na rede social VK, do qual também é fundador, o FSB pediu aos escritórios da Telegram em Londres "a informação necessária para decodificar mensagens eletrônicas enviadas, recebidas, entregues e tratadas" pelos usuários.

"Atualmente não planejamos o bloqueio" do Telegram na Rússia, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.

Telegram é alvo de vários países por se recusar a comunicar os dados de seus usuários, dentre os quais grupos jihadistas.

O fundador do serviço, Pavel Durov, desafiou em várias ocasiões as autoridades russas e, em setembro, anunciou que havia rejeitado um pedido do FSB.

De acordo com documentos publicados pela Durov na rede social VK, do qual também é fundador, o FSB pediu aos escritórios da Telegram em Londres "a informação necessária para decodificar mensagens eletrônicas enviadas, recebidas, entregues e tratadas" pelos usuários.

"Atualmente não planejamos o bloqueio" do Telegram na Rússia, disse o porta-voz do Kremlin, Dmitri Peskov.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM