Jornal do Commercio
Venezuela

Lei do ódio 'criminaliza' oposição na Venezuela, denuncia Parlamento

"Lei contra o ódio" prevê a suspensão de partidos políticos e o fechamento dos meios de comunicação que incitem à violência

Publicado em 14/11/2017, às 21h17

Lei também restringe a informação nas redes sociais / Foto: Ronaldo Schemidt / AFP
Lei também restringe a informação nas redes sociais
Foto: Ronaldo Schemidt / AFP
AFP

O Parlamento venezuelano, controlado pela oposição, acusou nesta terça-feira (14) o governo de "criminalizar" a dissidência mediante a polêmica lei - aprovada pela Assembleia Constituinte - que pune os chamados "crimes de ódio".

"Isto configura uma grosseira tentativa de criminalizar e punir a dissidência política, colocando em risco a pluralidade, a liberdade de expressão e o direito à informação", assinalou o Legislativo.

Restrição da informação

A chamada "lei contra o ódio" prevê a suspensão de partidos políticos e o fechamento dos meios de comunicação que incitem à violência, e também restringe a informação nas redes sociais. 



O texto, aprovado na semana passada pela Constituinte, foi proposto pelo presidente Nicolás Maduro após os protestos opositores que deixaram 125 mortos entre abril e julho passados.

Maduro justificou a lei recordando que durante os protestos 29 pessoas foram "queimadas vivas por serem chavistas".

Segundo o Parlamento, a lei promove "a perseguição contra os cidadãos que protestam".

"Quem provoca o ódio? O que reclama da falta de comida, água ou medicamentos?!" - questionou o  deputado Ángel Medina durante o debate.


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM