Jornal do Commercio
FRIO

Frio ártico toma conta do nordeste dos EUA após 'ciclone bomba'

Após a passagem do ciclone, as temperaturas podem chegar a -20ºC em Nova York.

Publicado em 05/01/2018, às 16h48

A costa leste é atingida por uma onda de frio com temperaturas muito abaixo da média desde depois do Natal / Foto: AFP
A costa leste é atingida por uma onda de frio com temperaturas muito abaixo da média desde depois do Natal
Foto: AFP
AFP

Uma onda de frio que pode congelar estradas com neve, provocar acidentes e complicar ainda mais a vida das pessoas em situação de rua tomou conta nesta sexta-feira (5) da costa leste dos Estados Unidos depois da passagem de um "ciclone bomba".

"A costa leste amanheceu com um frio ártico esta manhã" depois do incomum ciclone provocado por uma queda drástica da pressão atmosférica, um processo conhecido "bombogênesis", indicou o Serviço Nacional do Clima (SNC).

Embora tenha parado de nevar, "haverá temperaturas amargamente frias e tempestades perigosas nos próximos dois dias", detalhou.

O SNC prevê temperaturas de cerca de -20ºC em Nova York, Nova Jersey e Massachusetts, e até de -40ºC mais ao norte, do Maine a New Hampshire.

Por conta deste ciclone, que inicialmente atingiu o sul dos Estados Unidos provocando a primeira neve em três décadas na Flórida, mais de 5.500 voos foram cancelados em todo o país desde quinta-feira.

Os dois aeroportos de Nova York, que haviam fechado suas pistas, reabriram nesta sexta, mas 20% dos voos no aeroporto John F. Kennedy (JFK) foram cancelados, assim como cerca de 30% em Boston, segundo o site FlightAware.



Em Boston, ondas geladas invadiram o porto, uma zona turística e uma estação de metrô, que recebeu quase um metro de água nas maiores inundações na cidade em 40 anos.

Na Virgínia, mais de 40.000 pessoas sofreram cortes de eletricidade, e outras milhares ficaram sem luz ao longo da costa, entre eles 10.000 moradores de Massachusetts.

Em vários estados foi declarado estado de emergência, que incluiu a cidade de Nova York, assim como Westchester e Long Island.

A "Big Apple", que na quinta-feira recebeu quase 25 centímetros de neve, amanheceu nesta sexta ensolarada e com o céu limpo, mas, como em Boston, o termômetro marca -12ºC.

As escolas reabriram e milhares de funcionários usavam pás e caminhões para retirar a neve suja das ruas e calçadas.

O ar do Ártico, junto com fortes ventos, às vezes superiores a 60 km/h, pode baixar a temperatura corporal e provocar hipotermia, advertiu o SNC.

A costa leste é atingida por uma onda de frio com temperaturas muito abaixo da média desde depois do Natal.

Mas dentro de seis a 10 dias, os termômetros subirão e ficarão acima da média, vaticinou o SNC. "Boas notícias após muitas semanas de frio atroz".


Palavras-chave

Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM