Jornal do Commercio
BALANÇO

Brasileiro e paraguaio entre os oito mortos em presídio na Bolívia

As mortes aconteceram durante operação policial para tomar o controle da prisão

Publicado em 16/03/2018, às 02h59

Até a quarta-feira (14) havia sete mortos e mais de vinte feridos, entre presidiários e policiais / Foto: Jorge Mamani/ ABI
Até a quarta-feira (14) havia sete mortos e mais de vinte feridos, entre presidiários e policiais
Foto: Jorge Mamani/ ABI
AFP

O governo da Bolívia elevou nesta quinta-feira (15) para oito mortos, entre eles um paraguaio e um brasileiro, durante uma operação policial no presídio de Palmasola (leste).

"São oito pessoas, nas últimas horas faleceu um último preso", informou o vice-ministro do Regime Interior, José Luis Quiroga, sobre os incidentes registrados nesta quarta-feira durante uma operação para tomar o controle da prisão.

Até a quarta-feira havia sete mortos e mais de vinte feridos, entre presidiários e policiais, por disparos de armas de fogo e golpes. O oitavo morto é um boliviano, que está sendo atendido em um hospital público.

A autoridade informou que entre os mortos há um paraguaio e um brasileiro que faziam parte do corpo de segurança de segurança de um perigoso detido que mantinha o controle do centro carcerário. 



Entre os presos feridos também há um brasileiro, um equatoriano, um paraguaio e um colombiano.

Operação policial para tomar o controle de Palmasola

O governo realizou a operação policial para tomar o controle de Palmasola, argumentando que havia "um completo desgoverno".

Em Palmasola, de aproximadamente 4.000 internos, havia tranquilidade, enquanto a polícia realocava réus perigosos e conflitivos a outras prisões.

Por outro lado, a Igreja católica pediu esclarecimento pela morte de réus. "As mortes e a dor que puderam ser evitadas clamam que se estabeleçam responsabilidades e sanções justas e imediatas", afirmou.

A estatal Defensoria do Pública abriu, separadamente, uma investigação e revelou que alertou sobre a presença de armas no presídio e pediu que se proteja a vida das pessoas.


Palavras-chave


Comentários

Por CANDIDO JOSÉ ,16/03/2018

ISSO PODE ARNALDO

Por Luiz Félix de Freitas Silva,16/03/2018

Que doidice é essa? O oitavo morto é um boliviano, que está sendo atendido em um hospital público. se o infeliz já morreu, acabou!. A não ser que estejam tentando ressuscitá-lo. Que barbaridade! Luiz Félix.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM