Jornal do Commercio
Guerra

Aliados dos EUA se pronunciam sobre ataque aéreo na Síria

Ofensiva foi uma resposta ao ataque químico sofrido pela Síria

Publicado em 13/04/2018, às 23h09

A britânica Theresa May e o francês Emmanuel Macron (foto) se aliaram ao americano Donald Trump / Foto: AFP
A britânica Theresa May e o francês Emmanuel Macron (foto) se aliaram ao americano Donald Trump
Foto: AFP
AFP

Minutos depois de o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciar em cadeia nacional o ataque na Síria, em coalizão com a França e o Reino Unido, os aliados se pronunciaram sobre o ofensiva aérea no país do ditador Bashar Al Assad.

A primeira-ministra britânica, Theresa May, disse neste sábado (noite da sexta-feira no Brasil) que não havia "alternativa prática" ao uso da força na Síria, ao anunciar que o Reino Unido se uniu à França e aos Estados Unidos para lançar ataques contra a Síria.

"Esta noite autorizei as Forças Armadas britânicas a realizar bombardeios coordenados e dirigidos para degradar as capacidades de armas químicas do regime e impedir seu uso".



Já o presidente francês Emmanuel Macron, por sua vez, anunciou neste sábado (noite da sexta-feira no Brasil) que a França participava da operação em curso com os Estados Unidos e o Reino Unido na Síria, destacando que os bombardeios estavam "circunscritos às capacidades do regime que permitem a produção e o uso de armas químicas".

"Não podemos tolerar a banalização do uso de armas químicas", explicou o presidente em um comunicado.

O que disse Trump

Em represália ao ataque químico sofrido pela Síria, o presidente Donald Trump anunciou na noite desta sexta-feira (13) que ataques aéreos ao país estão em andamento. A ofensiva será em coalizão com o Reino Unido e a França.

"Ordenei às forças armadas dos Estados Unidos que lancem ataques de precisão contra alvos associados à capacidade de armas químicas do ditador Bashar Al Assad", disse Trump em discurso à Nação na Casa Branca.


Recomendados para você


Comentários

Por J,14/04/2018

Se Trump estivese no Brasil iria jogar bomba na cabeca destes comentaristas burro que quer ele aqui no Brasil.

Por REINALDO DA SILVA LIMA,14/04/2018

AH COMO EU QUERIA UM PRESIDENTE DESSE AQUI PRA ACABAR COM ESSES BANDIDOS CORRUPTOS LADRÕES DO NOSSO POVO TRABALHADOR.

Por Orlando ,14/04/2018

Os americanos ja criaram diversas guerras com mentiras, o unico interesse americano é petroleo/gas da Siria. Pena que temos muitos alienados que acreditam e suportam guerras para manter os EUA ricos.

Por jairo,13/04/2018

É isso ai senhor Trump fez a coisa certa, antes tarde que nunca, mas não tem ai uma bomba so pro Assad não?



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada
Cantos e Recantos Cantos e Recantos
A temporada de sol está nos espreitando, e a Praia de Boa Viagem é sempre uma opção de passeio. Mas que tal ousar um pouquinho na quilometragem e desbravar outros destinos? Pernambuco tem muitos lugares fantásticos e você vai adorar o roteiro que o JC fe
As Paixões de José Pimentel, o eterno Jesus As Paixões de José Pimentel, o eterno Jesus
O JC preparou um hotsite especial em homenagem ao ator e diretor Jose Pimentel, o eterno Jesus Cristo do teatro pernambucano

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM