Jornal do Commercio
TELEGRAM

Tribunal russo determina bloqueio do aplicativo Telegram

O bloqueio foi feito após empresa se recusar a fornecer ao Serviço Federal de Segurança (FSB) acesso a conversas privadas

Publicado em 13/04/2018, às 07h08

Tribunal da Rússia bloqueou o acesso ao aplicativo no país nesta sexta (13) / Foto: AFP/Arquivos
Tribunal da Rússia bloqueou o acesso ao aplicativo no país nesta sexta (13)
Foto: AFP/Arquivos
AFP

Um tribunal de Moscou ordenou nesta sexta-feira o bloqueio do aplicativo de mensagens Telegram na Rússia, depois que a empresa se recusou a fornecer ao Serviço Federal de Segurança (FSB) acesso a conversas privadas.

A agência de regulamentação Roskomnadzor, que iniciou o processo, solicitou a implementação imediata do bloqueio após o anúncio do veredicto.

O russo Pavel Durov, o autoexilado fundador do Telegram, afirmou diversas vezes que rejeitará qualquer tentativa das forças de segurança do país de obter acesso ao aplicativo.

O aplicativo gratuito, que permite o envio de mensagens, fotos e vídeos em grupos de mais de 5.000 pessoas, conseguiu mais de 200 milhões de usuários desde sua criação em 2013.

O Telegram é conhecido por oferecer um alto nível de confidencialidade e mantém uma disputa há vários meses com as autoridades russas, que exercem uma crescente pressão sobre a internet.



O advogado do aplicativo, Pavel Chikov, criticou uma decisão que "demonstra mais uma vez que a justiça serve fielmente aos interesses do poder, sem a preocupação de manter as aparências".

O Telegram é especialmente popular entre os ativistas políticos de todo tipo, mas também é utilizado por jihadistas.

Em setembro de 2017, o FSB pediu as chaves de criptografia do app, informou Durov, o que provocou uma queixa formal quando a solicitação foi rejeitada.

Em 20 de março, a Roskomnadzor deu prazo de 15 dias ao Telegram para entregar os códigos de criptografia.

"As informações difundidas pelo Telegram podem conter dados utilizados por organizações terroristas e extremistas", afirmou na audiência um representante da Roskomnadzor, antes de destacar que isto constitui "uma ameaça para a Federação Russa".

Durov escreveu no ano passado que os pedidos do FSB são "tecnicamente impossíveis de realizar" e violam a Constituição russa, que dá direito aos cidadãos à privacidade de sua correspondência.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM