Jornal do Commercio
PROTESTOS

Um morto e três feridos em noite de distúrbios na Nicarágua

O fato aconteceu em uma universidade, onde estudantes protestam contra o governo, na Zona Leste de Manágua, em Nicarágua

Publicado em 11/05/2018, às 07h18

Protestos mobilizaram milhares de pessoas na última quarta (9) contra o governo de Daniel Ortega, presidente da Nicarágua / Foto: AFP
Protestos mobilizaram milhares de pessoas na última quarta (9) contra o governo de Daniel Ortega, presidente da Nicarágua
Foto: AFP
AFP

Uma pessoa morreu e três ficaram feridas na quinta-feira em distúrbios em uma universidade da zona leste de Manágua, na Nicarágua, onde vários estudantes que protestam contra o governo estão entrincheirados.

O vice-comandante de polícia Francisco Díaz afirmou que "em consequência dos tiros de grupos vândalos" faleceu Kevin Valle, de 18 anos, na área da Universidade Politécnica (UPOLI), foco dos protestos.

O líder do Movimento Estudantil 19 de abril Víctor Cuadra acusou o governo de iniciar uma "caça", com tiros na direção dos jovens que estão na UPOLI. Três pessoas ficaram feridas, segundo as mesmas fontes.

Os estudantes acusaram o governo. Os jovens estão entrincheirados no local desde os protestos de 18 de abril contra uma reforma do sistema previdenciário.

O governo revogou a lei que reduzia a pensão dos aposentados e pediu um diálogo, ainda sem data, mas o descontentamento prossegue após as mortes de 47 pessoas, incluindo dois policiais e um jornalista.

Protestos

Milhares de pessoas marcharam nessa quarta-feira (9), na capital da Nicarágua, convocadas por estudantes para exigir justiça e democracia, em uma nova mobilização maciça contra o governo do presidente Daniel Ortega.



A mobilização paralisou a parte oeste de Manágua, com gritos de "povo, se una" e "eram estudantes, não eram criminosos", referindo-se aos 47 mortos pela repressão policial contra os protestos iniciados em abril.

O movimento de protesto começou como manifestações estudantis contra uma reforma do seguro social, mas a repressão brutal e a detenção arbitrária dos participantes causaram indignação popular e espalharam a mobilização por todo o país.

A rota definida para a manifestação desta quarta foi pequena para a imensa multidão que se reuniu na Catedral de Manágua, o ponto de partida. 

Os manifestantes estavam a pé, em motocicletas e agitando bandeiras da Nicarágua, enquanto gritavam "que vão embora", em uma mensagem a Ortega e sua esposa e vice-presidente, Rosario Murillo, os quais chamavam de "ladrões" e "assassinos".

A marcha organizada pela Coalizão Universitária reuniu estudantes, camponeses, empresários e pessoas de diferentes partes do país, em uma nova marcha em massa em meio à onda de protestos que também deixaram 400 feridos, segundo o Centro Nicaraguense de Direitos Humanos (Cenidh).




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM