Jornal do Commercio
PRESOS NA CAVERNA

Meninos presos em caverna inundada na Tailândia estão com 'boa saúde'

Todos foram examinados por um médico militar, mas continuam na caverna

Publicado em 04/07/2018, às 07h34

O primeiro passo foi restabelecer a força, uma vez que os meninos ficaram dias sem comer / Foto: LILLIAN SUWANRUMPHA/AFP
O primeiro passo foi restabelecer a força, uma vez que os meninos ficaram dias sem comer
Foto: LILLIAN SUWANRUMPHA/AFP
AFP

Os 12 meninos e seu treinador de futebol presos há nove dias em uma caverna na Tailândia onde a saída foi inundada se encontram em "bom estado de saúde", informou a Marinha tailandesa, que nesta quarta-feira (4) publicou um novo vídeo do grupo.

"Após comerem, todos foram examinados por um médico militar", revelou a Marinha, sem precisar em que momento serão retirados e como pretende fazer isto através de um longo trecho de caverna inundada. 


Galeria de imagens

Legenda
Anteriores
Próximas

 

No vídeo, gravado na terça-feira, 11 meninos fazem uma saudação, dizem seu nome e revelam: "estou bem de saúde". A Marinha não explicou porque o 12º menino e o treinador não gravaram suas mensagens. "Estou muito feliz", reagiu a mãe de um dos meninos, Bew, ao ver o vídeo exibido pelos socorristas em um tela sob uma barraca, não muito distante da entrada da caverna.

"Ele está magro", assinalou a mulher ao ouvir a mensagem do filho. O grupo já começou a ser treinado para o mergulho, mas os socorristas salientaram que não pretendem se precipitar com a evacuação, que será complicada.

Evacuação difícil 

O governador da província de Chiang Rai, Narongsak Osottanakorn, que coordena a célula de resgate, afirmou que uma retirada nesta quarta-feira seria "difícil", já que o nível da água é elevado, apesar do grande sistema de bombeamento instalado.

"Será difícil retirá-los hoje" (quarta-feira)", declarou, sem fazer especulações sobre a data da retirada. "Devemos ter 100% de certeza no momento de decidir a operação", que poderia acontecer em vários grupos de crianças, completou.



De fato, a operação de resgate será difícil e os socorristas já advertiram que não se precipitarão na hora de realizá-la, pois deverão percorrer quilômetros sob a água. Os meninos - com entre 11 e 16 anos - foram encontrados com seu treinador, 25, na noite de segunda-feira, sãos e salvos, após ficarem isolados na caverna devido a fortes chuvas. 

O primeiro passo foi restabelecer a força, uma vez que os meninos ficaram dias sem comer. O grupo já está sendo treinado para percorrer mais de quatro quilômetros de veios estreitos, incluindo vários trechos inundados para as quais serão equipadas com cilindros de oxigênio.

"Fazer mergulho em cavernas é muito técnico e perigoso, especialmente para mergulhadores iniciantes. Por isso, pode ser melhor ajudá-los na caverna até que possam ser removidos por outros meios", avaliou Anmar Mirza, coordenador da Comissão Nacional americana de Resgate Subterrâneo.

Um mergulhador veterano leva seis horas para percorrer essa distância, indicaram as equipes de resgate. As equipes de resgate detectaram vários poços na vertical da caverna. E nos últimos dias, a floresta foi desmatada perto de um deles para permitir o pouso de helicópteros visando uma possível evacuação por via aérea. Mas, por enquanto, não foi provado que um desses poços esteja ligado ao trecho da caverna onde estão os meninos.

A opção principal continua sendo a entrada da caverna, onde técnicos, especialmente japoneses, trabalham para drenar a água. Quanto mais baixo o nível de água, menos as crianças terão que percorrer com equipamento de mergulho. No entanto, quanto mais o tempo passa, maior o risco de novas inundações nesta temporada de monções no Sudeste Asiático.


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM