Jornal do Commercio
CRISE POLÍTICA

Estudantes comemoram 100 dias de protestos contra governo na Nicarágua

Com os rostos cobertos por lenços, camisas ou máscaras, centenas de estudantes comemoraram os 100 dias de protestos e resistência ao governo de Ortega

Publicado em 27/07/2018, às 02h56

Violenta repressão que já deixou mais de 300 mortos na Nicarágua / Foto: MARVIN RECINOS / AFP
Violenta repressão que já deixou mais de 300 mortos na Nicarágua
Foto: MARVIN RECINOS / AFP
AFP

Com os rostos cobertos por lenços, camisas ou máscaras, centenas de estudantes comemoraram os 100 dias de protestos e resistência ao governo do presidente Daniel Ortega, em meio a uma violenta repressão que já deixou mais de 300 mortos na Nicarágua.

"São 100 dias nos quais lutamos e devolvemos a esperança a este país para ser livre", disse à AFP o líder estudantil Lester Alemán, durante um show de protesto no sul de Manágua.

Perseguição

Alemán, membro da opositora Aliança Cívica que participa do diálogo com o governo, condenou a "caça às bruxas" deflagrada pela polícia e por grupos paramilitares contra os participantes dos protestos.

Ao menos 600 pessoas foram sequestradas por paramilitares e estão desaparecidas desde o início das manifestações, segundo a Associação Nicaraguense Pró-Direitos Humanos (ANPDH). 



"Os estudantes hoje têm que esconder o rosto porque é crime" protestar, mas "seguiremos nos manifestando, mesmo que seja de forma anônima", disse Alemán.

Esta semana entrou em vigor a lei que pune com até 20 anos de prisão quem apoia ou participa dos protestos contra o governo.

"A perseguição do governo contra as pessoas que pensam diferente é injusta, mas em 100 dias de luta o povo perdeu o medo e vamos em frente até que a Nicarágua seja livre e democrática", disse à AFP um homem que se identificou como Bismark.

Segundo o Centro Nicaraguense dos Direitos Humanos (Cenidh), trabalhadores, estudantes e famílias inteiras são vítimas de perseguição, captura ou sequestro por participar das marchas opositoras ou ter um gesto humanitário com os que rejeitam o governo.

Os protestos na Nicarágua começaram em 18 de abril, com uma manifestação contra a reforma da Previdência, mas logo se transformaram em um movimento contra Ortega, que governa o país desde 2007, após sucessivas reeleições.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM