Jornal do Commercio
CONFLITO

Forças americanas iniciam ofensiva aérea contra cidade afegã

Os ataques aconteceram na cidade de Ghazni tomada pelos talibãs

Publicado em 10/08/2018, às 07h25

O porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid, afirmou em um comunicado que
O porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid, afirmou em um comunicado que "este ataque é parte da ofensiva de primavera" iniciada em maio.
Foto: AFP
AFP

As forças dos Estados Unidos iniciaram nesta sexta-feira (10) uma ofensiva aérea contra a cidade de Ghazni, Afeganistão, tomada pelos talibãs e onde a população vive escondida em meio a explosões e tiros.

Ghazni, capital da província de mesmo nome, é a segunda capital provincial dominada pelos talibãs em menos de três meses, após Farah (oeste), que caiu em 15 de maio mas foi rapidamente retomada pelo Exército.

De acordo com os militares americanos, que anunciaram bombardeios em apoio às forças afegãs, os combates pararam às 08h00 (0h30 de Brasília), mas correspondentes da AFP relataram ter ouvido tiros três horas mais tarde.

"Ainda ouvimos tiros de várias direções. Os talibãs entram e saem da cidade, são dezenas. A sede do Departamento de Reconstrução está em chamas", afirmou um comerciante, Asif Panahi, à AFP.

Segundo o chefe da polícia de Ghazni, Farid Ahmad Marshal, contactado pela AFP na manhã desta sexta-feira, "os combatentes talibãs iniciaram o ataque às 23h00 (de quinta-feira) contra as barreiras de segurança em torno da cidade e os combates com as forças de defesa prosseguem". 

"Avançaram pela cidade e dispararam morteiros contra as casas", declarou o porta-voz do governador provincial, Arif Noori, mencionando vários mortos e feridos entre os soldados, além de 30 entre os talibãs.



"Aconteceram ataques múltiplos contra os edifícios do governo, mas os combates terminaram às 08H00. As forças americanas responderam com apoio aéreo de proximidade (com helicópteros de ataque) e executaram bombardeios com drones", afirmou o porta-voz das tropas dos Estados Unidos, o tenente-coronel Martin O'Donnell.

"As forças afegãs controlam a região. Foi uma nova tentativa em vão dos talibãs para conquistar território e aparecer nos jornais", completou.

O porta-voz da presidência do país, Shah Hussain Murtazawi, informou que as forças especiais "estão a caminho.

O porta-voz dos talibãs, Zabihullah Mujahid, afirmou em um comunicado que "este ataque é parte da ofensiva de primavera" iniciada em maio. 

"Centenas de mujahedines, equipados com armas pesadas, tomaram os postos de controle da cidade", anunciou.

No total, "140 membros das forças inimigas foram abatidos ou feridos e as perdas entre os mujahedines são pequenas", afirmou o porta-voz, em uma declaração que está de acordo com os exageros característicos dos talibãs.

Nas redes sociais

No Facebook, "Yasan", um morador de Ghazni, indicou que "os talibãs estão na cidade e usam os alto-falantes da mesquita para dizer à população que permaneça em casa. Ouvimos fortes explosões e tiros, estamos aterrorizados".

"Não podemos sair", confirmou à AFP o comerciante Mohamad Haleem.

"Os talibãs estão por todos os lados, impedem a nossa saída".

Desde que os talibãs conseguiram assumir por algumas horas, em duas oportunidades, o controle de Kunduz, a capital econômica do norte do país, em outubro de 2015 e 12 meses depois, as Forças Armadas afegãs passaram a concentrar os esforços ao redor das capitais provinciais.

A entrada dos insurgentes em Ghazni, perto de Cabul, acontece menos de três meses após a ocupação por um dia de Farah.


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida
Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM