Jornal do Commercio
BALANÇO

Guerra na Síria fez mais de 360 mil mortos desde 2011

Entre os mortos estão 110.687 civis, incluindo 20 mil crianças e cerca de 13 mil mulheres

Publicado em 14/09/2018, às 03h01

A guerra na Síria começou em março de 2011 / Foto: AREF TAMMAWI / AFP
A guerra na Síria começou em março de 2011
Foto: AREF TAMMAWI / AFP
AFP

A guerra na Síria deixou mais de 360.000 mortos desde o início de 2011, segundo um novo relatório divulgado nesta quinta-feira (13) pelo Observatório Sírio para os Direitos Humanos (OSDH). 

O balanço anterior datava de 12 de março e apontava para mais de 350.000 mortes em sete anos de conflito.

A guerra na Síria começou em março de 2011 após a dura repressão do regime contra manifestações pacíficas exigindo reformas democráticas, na esteira da Primavera Árabe.

Depois, vários grupos de oposição pegaram em armas e o conflito tornou-se mais complexo com a participação de países estrangeiros e grupos jihadistas.



Um total de "364.792 pessoas morreram entre 15 de março de 2011 e 13 de setembro de 2018", indicou o OSDH nesta quinta-feira. A organização conta com uma ampla rede de fontes no país.

Mulheres e crianças

Entre os mortos estão 110.687 civis, incluindo 20.000 crianças e cerca de 13.000 mulheres, segundo a organização.

Mais de 124.000 membros das forças pró-regime também morreram. Entre eles estão 64.868 soldados do exército sírio e 1.665 combatentes do Hezbollah libanês, de acordo com o OSDH. 

A eles, soma-se a morte de 64.000 jihadistas e extremistas islâmicos, incluindo  membros do Estado Islâmico (EI) e da organização Hayat Tahrir Al-Sham, controlada pela ex-facção síria da Al-Qaeda.


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM