Jornal do Commercio
DECLARAÇÃO

Trump diz que retirada de tropas dos EUA na Síria será 'prudente'

O anúncio da retirada das tropas americanas da Síria foi realizado em dezembro pelo presidente norte-americano

Publicado em 07/01/2019, às 20h26

Milhares de soldados americanos atuam no apoio às forças locais na luta contra o Estado Islâmico (EI) / Foto: Delil SOULEIMAN / AFP
Milhares de soldados americanos atuam no apoio às forças locais na luta contra o Estado Islâmico (EI)
Foto: Delil SOULEIMAN / AFP
AFP

O presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, tentou dissipar nesta segunda-feira (7) os temores de uma retirada abrupta das tropas americanas da Síria e disse que esta será feita em um "ritmo adequado" e de forma "prudente". 

"Deixaremos [a Síria] em um ritmo adequado, enquanto continuaremos lutando contra o [grupo extremista] Estado Islâmico e fazendo tudo o que for prudente e necessário!", tuitou o presidente.

Trump esteve no centro das críticas dentro e fora de seu país por ter dito que acreditava que o EI tinha desaparecido e que queria que as tropas americanas deixassem a Síria de imediato.

As novas declarações do presidente foram feitas depois de uma viagem de seu assessor de Segurança Nacional, John Bolton, a Israel, onde disse nesse domingo (6) ao premiê israelense, Benjamin Netanyahu, que a retirada não ocorrerá até que o Estado Islâmico "esteja derrotado e não possa se recompor".

Anúncio

Estas afirmações se seguiram à tempestade diplomática provocada pelo surpreendente anúncio de Trump em 19 de dezembro que apontava a uma retirada imediata da Síria, onde 2.000 homens americanos desempenham um papel importante no apoio às forças locais na luta contra o EI.



"Vencemos o Estado Islâmico", disse na ocasião. "Recuperamos o território e agora é hora de que nossas tropas voltem para casa", assegurou.

Aliados como o Reino Unido e a França advertiram que o EI não estava derrotado e surgiram dúvidas também sobre o futuro dos grupos curdos que combateram o grupo extremista junto com os Estados Unidos na Síria, mas agora poderiam se tornar alvo de ataques a partir da Turquia.

O anúncio da retirada também provocou forte oposição dentro do Partido Republicano e a renúncia do secretário da Defesa, James Mattis.

Em seus tuítes nessa segunda-feira, Trump se queixou de que os meios de comunicação distorceram suas palavras e assegurou que sua postura atual sobre a Síria "não é muito diferente" à sua declaração original.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM