Jornal do Commercio
VENEZUELA

Comandantes militares declaram 'apoio irrestrito' a Maduro

O segundo mandato de Nicolás Maduro não é reconhecido pelo Parlamento venezuelano

Publicado em 08/01/2019, às 21h57

A posse do presidente Nicolás Maduro acontecerá nesta quinta-feira (10) / Foto: JUAN BARRETO / AFP
A posse do presidente Nicolás Maduro acontecerá nesta quinta-feira (10)
Foto: JUAN BARRETO / AFP
AFP

O alto comando da Força Armada venezuelana reafirmou nesta terça-feira (8) seu apoio ao presidente Nicolás Maduro, nas vésperas de sua posse para um segundo mandato, não reconhecido pelo Parlamento e por grande parte da comunidade internacional.

A Força Armada manifesta "irrestrito apoio e lealdade absoluta ao cidadão Nicolás Maduro como presidente constitucional" e "comandante para o período 2019-2025", declarou o ministro da Defesa, general Vladimir Padrino, acompanhado da cúpula militar.

Maduro será empossado pelo Tribunal Supremo de Justiça (TSJ), e não pelo Legislativo, controlado pela oposição e que ignora sua reeleição.

Maikel Moreno, presidente do TSJ, convocou Maduro para a posse às 10H00 local (12H00 Brasília) desta quinta-feira (10).

O Parlamento, que qualificou Maduro de "usurpador" no sábado passado, começou nesta terça-feira a debater fórmulas para promover a "transição política" na Venezuela.

Grupo de Lima

Padrino manifestou sua "profunda indignação e rejeição categórica" à declaração do Grupo de Lima, que com o apoio dos Estados Unidos pediu - na sexta-feira passada - que o líder venezuelano entregasse o poder à Assembleia Nacional, controlada pela oposição.



Nesta terça-feira, a Assembleia Constituinte, integrada por representantes do chavismo, decretou que os opositores que apoiaram a declaração do Grupo de Lima serão investigados por traição à pátria.

Ordenamos uma "investigação imediata por traição à pátria sobre todos que aderiram à declaração do mal do chamado Grupo de Lima", disse o presidente da Constituinte, Diosdado Cabello.

A declaração do Grupo de Lima incluiu um ponto que rejeita "qualquer provocação ou movimentação militar que ameace a paz e a região", e pede a Maduro que desista de "ações que violem os direitos soberanos de seus vizinhos".

Em relação a este ponto, Cabello declarou que "a defesa da nossa soberania é uma questão de Estado que está acima de qualquer divergência política ou ideológica".


Recomendados para você




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Segunda chance - Caminhos para ressocializar Segunda chance - Caminhos para ressocializar
Eles saem das prisões, mas as prisões não saem deles. Perseguem-nos até o final de suas vidas. Como uma condenação perpétua. Pena. Eles lamentam. Mas precisam seguir. E neste difícil caminho da ressocialização, o trabalho é uma espécie de absolvição.
Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida
Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM