Jornal do Commercio
PROMESSA

Democrata aspira a ser primeiro presidente hispânico dos EUA

Espera-se que Castro concorra com um grande número de candidatos diversos na corrida por enfrentar o presidente republicano, Donald Trump

Publicado em 12/01/2019, às 19h30

Julian Castro, 44 anos, declarou-se candidato à presidência dos EUA / Foto: SUZANNE CORDEIRO / AFP
Julian Castro, 44 anos, declarou-se candidato à presidência dos EUA
Foto: SUZANNE CORDEIRO / AFP
AFP

O ex-prefeito de San Antonio, nos EUA, Julian Castro, que integrou a administração do democrata Barack Obama, anunciou neste sábado (12), no Texas, sua candidatura para se tornar o primeiro presidente hispânico dos Estados Unidos. 

"Sou candidato à Presidência dos Estados Unidos", declarou Castro, de 44 anos, diante de centenas de simpatizantes, reunidos em uma praça de San Antonio, sua cidade natal. 

Espera-se que Castro, considerado uma promessa do Partido Democrata, concorre com um grande número de candidatos diversos na corrida por enfrentar o presidente republicano, Donald Trump. 

O anúncio, feito sob o lema "Uma nação, um destino", ocorre em um momento em que Trump transformou a imigração em um tema candente. Parte do governo federal está paralisada porque os democratas, majoritários na Câmara de Representantes, se negam a desbloquear os 5,7 bilhões de dólares que o presidente exige para construir um muro na fronteira com o México.

Neto de uma imigrante mexicana, Castro abordou a questão migratória diante de uma multidão reunida em San Antonio. "Dizemos não à construção do muro e sim à construção de comunidades", afirmou.



Ator secundário

Por enquanto, seu perfil é o de um ator secundário em uma corrida da qual podem participar vários pesos-pesados do partido, como o ex-vice-presidente Joe Biden; os senadores Bernie Sanders, Elizabeth Warren e Kamala Harris; e até o bilionário Michael Bloomberg. 

Conhecido pela boa oratória, o fotogênico Julian Castro foi secretário da Habitação de Obama e prefeito da sétima cidade dos Estados Unidos. Agora, se torna o terceiro hispânico candidato presidencial de peso em quatro anos, depois dos senadores republicanos Ted Cruz e Marco Rubio, derrotados por Trump nas primárias republicanas de 2016.

Pode ser que sua candidatura desperte o entusiasmo dos eleitores hispânicos pelos democratas, que apoiaram Hillary Clinton, mas em menor medida que a Obama.

Castro ficou conhecido nos Estados Unidos em 2012, quando se tornou o primeiro latino a discursar na convenção nacional democrata.

Quatro anos depois, foi um dos finalistas à candidatura de vice-presidente com Hillary Clinton. 

Muito crítico a Trump, recorda que provavelmente não estaria nos Estados Unidos se a atual política migratória existisse quando sua avó, ainda uma criança, cruzou a fronteira com o México em 1922. 





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM