Jornal do Commercio
VENEZUELA

Guaidó marca manifestação para protestar contra apagão

O líder oposicionista convocou a população para manifestações para esta terça-feira (12)

Publicado em 11/03/2019, às 19h24

Em discurso na Assembleia Nacional, ele defendeu a união de forças em busca da consolidação dos
Em discurso na Assembleia Nacional, ele defendeu a união de forças em busca da consolidação dos "direitos"
Foto: Federico Parra / AFP
ABr

Em meio ao apagão que atinge a Venezuela há cinco dias, Juan Guaidó, autodeclarado presidente venezuelano, convocou nesta segunda-feira (11) a população para manifestações esta terça-feira (12) a partir das 15h. Em discurso na Assembleia Nacional, ele defendeu a união de forças em busca da consolidação dos “direitos”. Guaidó lembrou que, em janeiro, havia avisado que “dias duros” viriam.

O interino responsabilizou o presidente da Venezuela, Nicolás Maduro, pelo apagão. “O regime usurpador tenta confundir a todos aproveitando-se da falta de esperança. Nesta etapa, nosso êxito será a união de todos os fatores do país, a exigência dos nossos direitos e a mobilização em nível nacional.”

O apagão é tema principal da sessão desta segunda-feira na Assembleia Nacional. “Continuamos monitorando a situação. Nosso povo continua a viver com a preocupação de novos apagões, enquanto os cínicos mentem e zombam da dor e da morte”, afirmou Guaidó na sua conta no Twitter.



Estado de emergência

A Assembleia Nacional deve analisar nesta segunda-feira (11) a proposta de Guaidó para declarar estado de emergência em todo território venezuelano devido aos impactos causados pelo colapso no setor elétrico. Há informações de organizações não-governamentais que, pelo menos, 17 pessoas morreram nos últimos dias porque hospitais e clínicas não tiveram condições de prestar atendimento.

Guaidó lembrou que, em 2009, o governo venezuelano decretou emergência elétrica e que, em 2013, as instalações de energia do país passaram a ser controladas por forças públicas. Ao comparar o apagão com a falta de luz e alimentos, ele foi aplaudido pelos presentes.

“O ditador bloqueia a água e a luz como bloqueou a ajuda humanitária. Bloqueia comida, medicamentos e a prosperidade da Venezuela. Quem rouba Miraflores [em referência à sede do governo da Venezuela] e queima oportunidades somente quer agravar a tragédia do dia a dia do venezuelano.”




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM