Jornal do Commercio
TENSÃO POLÍTICA

Chefe de gabinete de Guaidó é detido na Venezuela, denuncia oposição

Roberto Marrero, reconhecido como presidente interino da Venezuela por mais de 50 países, foi dfetido por agentes da inteligência venezuelana

Publicado em 21/03/2019, às 10h06

"Ele denunciou em voz alta que eles plantaram (em sua casa) dois fuzis e uma granada", escreveu Guaidó sobre Marrero
Foto: Federico Parra / AFP
AFP

Agentes de inteligência detiveram nesta quinta-feira Roberto Marrero, chefe de gabinete de Juan Guaidó, reconhecido como presidente interino da Venezuela por mais de 50 países, denunciaram líderes opositores.

"Sequestraram @ROBERTOMARRERO, chefe de meu gabinete. Ele denunciou em voz alta que eles plantaram (em sua casa) dois fuzis e uma granada", escreveu Guaidó no Twitter, ao mesmo tempo que exigiu a libertação "imediata" do político.

Marrero foi detido durante a madrugada por agentes do Serviço Bolivariano de Inteligência (Sebin) após operações em sua residência e na casa do deputado opositor Sergio Vergara, que mora próximo, no bairro de Las Mercedes.

Guaidó, presidente do Parlamento de maioria opositora, informou que o procedimento começou às 2H00 locais (3H00 de Brasília) e não conhece o paradeiro de seu colaborador.



Quando foi levado preso, "gritou que haviam plantado dois fuzis e uma granada. Eles (os funcionários do Sebin) mandaram que ficasse calado e eu disse que ele tinha que ter muita força", declarou Vergara aos jornalistas.

O parlamentar contou que durante a operação 15 agentes o colocaram de rosto para baixo e "violaram" sua casa, enquanto perguntavam sobre a localização de Marrero, um advogado que trabalhou na Assembleia Nacional (Parlamento).

Durante a ação, que durou quase duas horas, estavam presentes dois promotores.

"Eles começaram a bater na casa de Roberto Marrero, que fica a poucos metros da minha porta, até que conseguiram entrar", disse. Um motorista que trabalha para o Legislativo também foi detido.

"A ditadura segue sequestrando os cidadãos", afirmou Vergara.

Em janeiro, o governo do presidente Nicolás Maduro divulgou um vídeo de um suposto encontro secreto entre o poderoso dirigente governista Diosdado Cabello, Guaidó e Marrero.

Depois de negar inicialmente o encontro, o presidente da Assembleia minimizou sua importância.

De acordo com a ONG Foro Penal, a Venezuela tem 866 presos por motivos políticos, sendo 91 militares e 775 civis.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM