Jornal do Commercio
Notícia
VAZAMENTO

Londres investigará vazamento de telegramas diplomáticos sobre Trump

Em um dos telegramas vazados, o embaixador britânico nos EUA teria classificado governo de Trump como "excepcionalmente disfuncional"

Publicado em 07/07/2019, às 21h54

Segundo o The Mail, as circulares vazadas abarcam o período desde 2017 / Foto: AFP
Segundo o The Mail, as circulares vazadas abarcam o período desde 2017
Foto: AFP
AFP

Londres anunciou neste domingo a abertura de uma investigação sobre os vazamentos à imprensa de telegramas diplomáticos em que o embaixador britânico nos Estados Unidos teria classificado o governo de Donald Trump, entre outras coisas,  de "inepto" e "excepcionalmente disfuncional".

"Será aberta uma investigação oficial sobre os vazamentos", declarou um porta-voz do ministério das Relações Exteriores, que não questionou a veracidade das circulares diplomáticas em questão.

O chanceler britânico, Jeremy Hunt, se distanciou das declarações que supostamente foram feitas pelo embaixador Kim Darroch.

"É muito importante dizer que o embaixador estava fazendo seu trabalho de embaixador, que é proporcionar relatórios francos e opiniões pessoais sobre o que ocorre no país em que ele trabalha [...], mas são opiniões pessoais, não as opiniões do governo britânico, nem a minha opinião", declarou, segundo um comunicado.

"Continuamos pensando que, com Donald Trump, o governo americano é, além de muito eficiente, o melhor amigo para o Reino Unido no cenário internacional", acrescentou Hunt, em campanha para se tornar o próximo primeiro-ministro britânico, uma nomeação que será feita em 23 de julho.

Ao ser perguntado sobre esses vazamentos, que foram publicadas por The Mail on Sunday, o presidente americano considerou que Kim Darroch "não serviu bem ao Reino Unido". "Não somos muito fãs desse homem", disse à imprensa.



Segundo o The Mail on Sunday, o diplomata britânico teria dito que a presidência de Trump poderia "desabar e se incendiar" e "terminar em desgraça", segundo uma série de circulares e relatórios enviados ao Reino Unido

"Realmente não acreditamos que esse governo se tornará substancialmente mais normal, menos disfuncional, menos imprevisível, menos rachado, menos torpe e inepto diplomaticamente", teria escrito Darroch em um telegrama.

O diplomata teria escrito também que "as lutas internas e o caos" na Casa Branca, dos quais se fala muito nos Estados Unidos embora Trump as classifique de "notícias falsas", são "verdadeiros na maioria dos casos".

Darroch é um dos mais experientes diplomatas britânicos. Assumiu a embaixada do Reino Unido em Washington em janeiro de 2016, antes do início da presidência de Trump.

Segundo o The Mail, as circulares vazadas abarcam o período desde 2017.

Palavras-chave




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM
'; status++; } } else { status = 0; document.getElementById("aovivo").style.display = "none"; } setTimeout(function() { aovivo(); }, 180000); })();