Jornal do Commercio
Notícia
EUA-IRAQUE

EUA reafirma sua permanência no Iraque

Os EUA vão manter as tropas no Iraque para defender seus interesses e impedir reaparecimento do Estado Islâmico

Publicado em 07/01/2020, às 20h05

Trump declarou que retirar as tropas neste momento seria
Trump declarou que retirar as tropas neste momento seria "o pior" para o Iraque
Foto: ALEX WONG / GETTY IMAGES NORTH AMERICA / AFP
AFP

Os Estados Unidos (EUA) reafirmaram nesta terça-feira que não há alteração em sua política em relação ao Iraque e que manterão suas tropas naquele país, para defender seus interesses e impedir o ressurgimento do grupo Estado Islâmico. O presidente Donald Trump declarou que retirar as tropas neste momento seria "o pior" para o Iraque, após o Parlamento em Bagdá exigir a saída das forças estrangeiras. "É o pior que poderia acontecer ao Iraque", declarou Trump no Salão Oval, onde recebeu a visita do primeiro-ministro grego, Kyriakos Mitsotakis. "Queremos sair em algum momento, mas esta não é a ocasião correta", disse Trump, destacando o risco que representa a vizinha República Islâmica do Irã.

Parlamentares iraquianos exigiram do governo a expulsão dos 5.200 militares americanos estacionados no Iraque, após o assassinato do general iraniano, Qasem Soleimani, e do líder militar iraquiano, Abu Mehdi Al Muhandis. O secretário americano da Defesa, Mark Esper, já havia afirmado nesta terça que os Estados Unidos não retirariam suas tropas do Iraque, e negado a existência de uma carta anunciando a saída. "Nossa política não mudou. Nós não estamos saindo do Iraque", disse Esper a jornalistas.

>> Conheça Soleimani, o general do Irã morto em ataque ordenado por Trump

"Não há carta assinada que eu saiba", acrescentou Esper, afirmando que o comandante da Guarda Revolucionária iraniana, general Qassem Soleimani, planejava lançar um ataque em breve.

Carta

Mais cedo, o premiê iraquiano, Adel Abdel Mahdi, disse ter recebido cópias de uma carta "assinada", "traduzida" e "muito clara" do comando americano anunciando uma retirada militar do Iraque. "Não é uma folha que caiu da fotocopiadora [...] Agora, eles dizem que foi um rascunho [...], mas poderiam ter enviado outra carta de esclarecimento", disse o chefe de governo durante o Conselho de Ministros, transmitido pela televisão estatal. Sobre o documento, na véspera, o chefe do Estado-maior americano afirmou que a carta em questão era um simples "rascunho não assinado" transmitido por "erro". "Era uma carta oficial com o formato de página tradicional", insistiu Abdel Mahdi.



Além disso, acrescentou que primeiro enviaram uma versão traduzida para o árabe, que continha erros, e depois transmitiram uma segunda versão corrigida. A carta se referia a uma votação realizada no Parlamento iraquiano, no domingo, para exigir que o governo expulsasse tropas estrangeiras do Iraque.

A decisão do Parlamento iraquiano foi uma reação ao assassinato do general Soleimani, arquiteto da estratégia do Irã no Oriente Médio. Segundo o secretário de Defesa americano, os Estados Unidos reorganizarão suas tropas, mas não abandonarão o país. "Não foi tomada uma decisão de deixar o Iraque. Ponto", disse o chefe do Pentágono à imprensa.

A carta em questão menciona uma reorganização "das forças para [...] garantir que a retirada do Iraque seja realizada com segurança e eficácia", e avisava que seriam realizados mais voos noturnos de helicóptero para esse objetivo. Na noite de terça-feira, pelo quarto dia consecutivo, voos de helicóptero à baixa altitude foram registrados no centro da capital iraquiana, onde está localizada a Zona Verde, que abriga, entre outras instituições, a embaixada dos Estados Unidos.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM