Jornal do Commercio
Editorial
SAÚDE

Editorial: Saneamento básico para todos parece ter virado miragem no Brasil

Pernambuco e principalmente o Grande Recife têm larga experiência desse atraso civilizatório, que é a falta de saneamento

Publicado em 25/07/2019, às 07h50

Será que um dia poderemos nos comparar com nações civilizadas, isto é, onde saúde pública começa pelo saneamento básico? / Foto: Brenda Alcântara/ JC Imagem
Será que um dia poderemos nos comparar com nações civilizadas, isto é, onde saúde pública começa pelo saneamento básico?
Foto: Brenda Alcântara/ JC Imagem
JC Online

O mapa do Brasil em 2019 mostra uma nação onde 35 milhões de pessoas não têm acesso a água tratada e perto de 100 milhões não sabem o que é coleta de esgoto. Por isso existe um Plano Nacional de Saneamento Básico com a meta de garantir água e saneamento para todos em 2033, mas faltam investimentos e o que deveria ser daqui a 14 anos passa a ser uma possibilidade em 2053. Isso é o que se sabe hoje, mas amanhã pode ser pior e há precedentes aqui mesmo em Pernambuco para mostrar que esse é um problema cuja solução parece miragem, não alimenta crença de que um dia poderemos nos comparar com nações civilizadas, isto é, onde saúde pública começa pelo saneamento básico. 

Pernambuco e principalmente o Grande Recife têm larga experiência desse atraso civilizatório. Na capital, essa história começou a ser contada em 25 de setembro de 1858, quando o empreendedor Carlos Luiz Cambronne firmou com o governo da província um contrato para asseio e limpeza da cidade, “um serviço completo de despejo e escoamento das urinas e águas sujas por meio de esgotos e canos correspondentes a cada casa”. No dia 10 de setembro de 1859, o Jornal do Recife noticiava: "Ontem pela manhã fundeou no nosso porto a escuna dinamarquesa Amanda, procedente de Anvers, trazendo a seu bordo grande parte do material necessário e 30 operários belgas para a construção do encanamento das águas pútridas e imundices da cidade, cuja obra é contratador e empreiteiro o sr. Cambronne".



O que isso deveria nos dizer? Que há um século e meio o Recife poderia ter largado na corrida destinada a criar condições sanitárias civilizadas para sua população. Mas esse seria apenas o passo inicial de uma caminhada que ocuparia governantes e o judiciário por uma sequência longa de avanços e recuos. Em maio de 1865, por exemplo, a Assembleia Legislativa Provincial autorizava o presidente da província a rever o contrato celebrado com Carlos Luiz Cambronne, admitindo mudança do sistema do primitivo contrato, com a canalização geral e serviço d´água "como o empregado na cidade de Londres, ou o que for mais conforme aos melhoramentos e aperfeiçoamentos conhecidos na Europa".

Ranking

De avanços e recuos se fez essa história no Grande Recife e o que temos hoje está anos-luz distante do que se imaginava em meados do século 19. De acordo com o ranking produzido pelo Instituto Trata Brasil - por exemplo - Jaboatão dos Guararapes, o segundo município mais populoso de Pernambuco, está entre os 10 piores municípios do Brasil em saneamento básico. Se essa endemia em matéria de saneamento é tão visível no Recife e nas cidades metropolitanas, o que dizer do interior, onde o processo histórico de mudanças e melhorias é ainda mais lento? 




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Irmã Dulce e as lições que se multiplicam Irmã Dulce e as lições que se multiplicam
A Santa Dulce dos Pobres deixou um legado enorme por todo o país, e não poderia ser diferente em Pernambuco. Veja exemplos de quem segue o "anjo bom da Bahia"
Jackson era grande demais para um pandeiro Jackson era grande demais para um pandeiro
Em pouco tempo, Jackson do Pandeiro deixou claro que não se tratava apenas de uma voz a mais no cenário artístico pernambucano. Confira especial sobre o artista
Especial Novo Clima Especial Novo Clima
O inverno não é mais o mesmo. E nem o verão. Os efeitos da crise climática alteraram a rotina de milhares de cidadãos das grandes cidades. O JC traz reportagens especiais desvendando o "novo clima"

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2020 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM