Jornal do Commercio
Editorial
RETOMADA DA ECONOMIA

Editorial: Indicadores positivos na situação financeira das empresas é bom sinal

A geração de caixa e a capacidade para o pagamento de dívidas estão em processo de melhora

Publicado em 11/09/2019, às 06h50

Vale destacar o resultado da geração de caixa, o maior em oito anos, segundo o levantamento realizado em mais de 1.300 empresas / Foto: Pixabay
Vale destacar o resultado da geração de caixa, o maior em oito anos, segundo o levantamento realizado em mais de 1.300 empresas
Foto: Pixabay
JC Online

A recuperação de indicadores positivos na situação financeira das empresas brasileiras pode ser um bom presságio para a retomada da economia. De acordo com o Centro de Estudos de Mercado de Capitais, a geração de caixa e a capacidade para o pagamento de dívidas estão em processo de melhora. Muito mais por causa de ajustes que as empresas precisaram fazer para sobreviver à recessão, do que devido à restauração do ambiente de negócios. A atividade econômica no País continua devendo, como o demonstram a permanência do alto nível de desemprego e as baixas previsões de crescimento do Produto Interno Bruto (PIB). A inércia ainda não foi quebrada, e a velocidade de escape da recessão não foi alcançada.

É como se o setor privado tivesse realizado a sua própria reforma estrutural, encolhendo a folha de pagamentos, cortando despesas, abdicando de ativos e buscando competitividade para um cenário de menor receita. O que era possível fazer com o objetivo de segurar a viabilidade do negócio. Com isso, especialmente com a diminuição de ativos, muitas conseguiram reduzir as dívidas – acumuladas na longa e penosa entressafra recessiva. Daí bastou um ensaio de retomada para que os resultados positivos voltassem, contribuindo para uma contida reanimação do mercado, elevando a expectativa otimista apesar das dificuldades que persistem.

Vale destacar o resultado da geração de caixa, o maior em oito anos, segundo o levantamento realizado em mais de 1.300 empresas. O dado é significativo sobretudo nas empresas de capital fechado, também em relação ao grau de endividamento, com indicadores retornando a patamares de antes da crise, ou seja, em 2014. Como influência conjuntural, a redução da taxa básica de juros – a Selic – pelo Banco Central, é vista como uma das condições para que isso ocorresse. No horizonte provável de nova redução da Selic para 5% até o fim do ano, tal desempenho deve continuar, e se espalhar. Desde agosto de 2016, a taxa básica de juros no Brasil caiu de 14,25% para 6% ao ano. Nessa trilha descendente, vê-se claramente que os juros menores ajudaram às empresas.



Na prática, as empresas ficam menores para se manter ativas. Demissões e renegociações entram nessa estratégia. Há casos de reestruturação em que o novo tamanho chega a quase metade do que era antes, com menos clientes e contratos com faturamento mais baixo. Um reposicionamento no mercado para se adequar a tempos bicudos. Bom para as empresas. Mas tal retrato está longe de ser o ideal. Como frisou o professor da Fundação Getúlio Vargas, Istvan Kasznar, em comentário ao levantamento, a questão da falta de demanda continua, embora a realidade empresarial esteja menos ruim.

REFORMAS

A condição das empresas reafirma a necessidade de aprovação das reformas em tramitação no Congresso. A reforma de austeridade nos negócios é um sinal adicional da urgência de medidas estruturantes para que a economia supere os obstáculos e entre em novo ciclo de prosperidade.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM