Jornal do Commercio
Presidência

Álvaro Dias é oficializado candidato à Presidência pelo Podemos

Ele vai compor chapa com o ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, cujo partido, o PSC

Publicado em 04/08/2018, às 13h57

Ele vai compor chapa com o ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, cujo partido, o PSC / Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
Ele vai compor chapa com o ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, cujo partido, o PSC
Foto: Jefferson Rudy/Agência Senado
Agência Brasil

Com discursos contra a corrupção e os privilégios, o senador Álvaro Dias foi escolhido pelos convencionais do Podemos para ser candidato à Presidência da República. A candidatura do parlamentar pelo Paraná foi oficializada neste sábado (4) em Curitiba, durante convenção nacional do partido.

Na primeira fala como candidato, Álvaro Dias anunciou que, se eleito, vai convidar o juiz federal Sérgio Moro para ser ministro da Justiça, e repetiu os pilares de sua pré-candidatura resumidos na promessa de "refundar a República".

Ele vai compor chapa com o ex-presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Paulo Rabello de Castro, cujo partido, o PSC, havia decidido lançar candidatura própria à Presidência, mas desistiu em favor de uma aliança com o Podemos na última quarta-feira (3).

Castro tem 69 anos, é doutor em economia e presidiu o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) nos primeiros meses do governo Michel Temer. Além do PSC, fazem parte da coligação até agora os partidos PTC e PRP.

Governo

Ao anunciar nomes que comporão o seu eventual governo, Álvaro Dias disse que convocou uma "seleção para derrotar a impunidade, a injustiça e a corrupção nesse país". Em diversos momentos, ele fez menção às operações de combate à corrupção como a Lava Jato.

Ao dizer que faria uma "homenagem à República de Curitiba", ele antecipou o convite público a Moro, chamado por ele de "símbolo da esperança do nosso povo" e o nome "para completar a tarefa da limpeza", mas ainda ainda não fez o convite diretamente ao magistrado.

Em entrevista, após ser escolhido, Álvaro Dias afirmou: “A refundação da República é a substituição desse sistema perverso, fábrica de escândalos, loteamento de cargos públicos e relação promíscua entre os poderes.



A ideia básica é que os brasileiros cumpram as leis”. Ele fez críticas aos privilégios das autoridades e ao sistema político que se coliga "simplesmente" com o objetivo de ter mais tempo de campanha na televisão.

O encontro teve a presença da presidente nacional do Podemos, Renata Abreu, de deputados federais e do senador Elmano Férrer (PI). Além de prefeitos da região, compareceu também o candidato ao Senado por São Paulo, Mário Covas Neto.

O jurista Miguel Reale Júnior, um dos autores do pedido de impeachment de Dilma Rousseff, foi anunciado como parte da equipe para tratar de alterações na Constituição.

"Estamos defendendo um pacto nacional de governabilidade. Todas as pessoas do bem de todos os partidos, um governo suprapartidário envolvendo instituições, religiões, academia, sindicatos, federações, associações, as forças vivas da sociedade brasileira unidas para promover a mudança e refundar a República", disse Álvaro Dias.

Perfil

O recém-oficializado candidato tem 73 anos e está no quarto mandato de senador. De 1987 a 1991, foi governador do Paraná, à época pelo PMDB. Na década de 1970, foi deputado federal por três legislaturas. Antes, foi vereador de Londrina (PR) e deputado estadual no Paraná. Formado em História, ele já mudou de siglas sete vezes.

Eleito senador em 2014 pelo PSDB, migrou para o PV e, em julho do ano passado, buscou o Podemos, antigo PTN, para se unir à tentativa da sigla de imprimir a bandeira da renovação da política e da participação direta do povo na política.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM