Jornal do Commercio
Pernambuco

Armando diz que se sentiria 'honrado' caso Marília decidisse apoiá-lo

De passagem pelo Agreste, o senador disse mais uma vez que votará no ex-presidente Lula (PT)

Publicado em 10/08/2018, às 18h26

Senador Armando Monteiro / Foto: Diego Nigro/ JC Imagem
Senador Armando Monteiro
Foto: Diego Nigro/ JC Imagem
Da editoria de Política

Durante passagem pela cidade de Santa Cruz do Capibaribe, no Agreste do Estado, o senador Armando Monteiro (PTB), pré-candidato ao governo do Estado pelo grupo Pernambuco Vai Mudar, afirmou que seria uma honra para ele se a vereadora Marília Arraes (PT) decidisse subir no seu palanque no pleito deste ano. Marília trabalhava na própria candidatura ao Palácio do Campo das Princesas, mas teve a postulação rifada pelo PT, que decidiu coligar-se com o PSB do governador Paulo Câmara.

"Respeitarei qualquer decisão que Marília tomar, pois tenho muita consideração por ela. Aliás, é bom lembrar a Santa Cruz que em 2014 a vereadora estava no meu palanque e eu sou grato pelo gesto do passado. Se ela puder me considerar como uma opção, vou me sentir muito honrado com o apoio", afirmou o petebistas a jornalistas da região, nesta sexta-feira (10). A petista ainda não divulgou qual candidato apoiará nesta eleição, mas deixou claro que não se aliará aos socialistas.



ALIANÇAS

O senador voltou a afirmar que votará no ex-presidente Lula (PT), caso ele, que foi condenado e está preso em Curitiba, possa efetivar sua candidatura junto à Justiça Eleitoral. Armando também disse que não sente nenhum desconforto em dar essa declaração e estar coligado com partidos como o DEM e o PSDB, adversários históricos do PT.

"Ninguém pode fazer um projeto em pernambuco sem juntar, sem reunir, sem ter a capacidade de promover alianças. O próprio
Lula nos deu um belo exemplo do que é que representa a força das alianças, pois perdeu várias alianças quando falava apenas para o PT. Quando Lula começou a falar para todos os setores da sociedade ele ganhou a eleição. E sabe o que é que ele fez? Foi buscar um empresário, José de Alencar, para ser o vice dele. José de Alencar não pensava da mesma forma que Lula, mas eles se juntaram pelo Brasil. Portanto não me desabona o fato de eu estar reunido hoje com pessoas que pensaram diferente de mim. O que importa é que a gente possa estar junto para mudar Pernambuco", avaliou Armando.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM