Jornal do Commercio
nomes

Nomes que causam dúvidas no eleitor são proibidos nas eleições

Muitos dos candidatos que disputam sua primeira eleição se registraram no TRE-PE usando nomes pelos quais são conhecidos na região onde moram e acreditam ter uma base eleitoral

Publicado em 20/08/2018, às 18h48

A maioria dos candidatos de primeira viagem faz campanha com recursos próprios / Foto: EBC
A maioria dos candidatos de primeira viagem faz campanha com recursos próprios
Foto: EBC
Maria Eduarda Bravo
mebravo@ne10.com.br

No dia 7 de outubro, quando os pernambucanos forem votar, vão encontrar nas urnas Marconi da Galinha, Negona Tia da Tropa, Fia do Posto, entre outros. São apelidos ou alcunhas que escondem nomes e sobrenomes comuns, sem grande tradição política. Muitos dos candidatos que disputam sua primeira eleição se registraram no Tribunal Regional Eleitoral (TRE-PE) usando nomes pelos quais são conhecidos na região onde moram e acreditam ter uma base eleitoral.

A maioria dos candidatos de primeira viagem faz campanha com recursos próprios. Vai de casa em casa atrás dos eleitores e usa apenas o seu discurso pessoal para tentar ganhar votos. Na lista com 344 candidatos, alguns utilizaram a profissão ou atividade de vida para compor o nome de urna na eleição a deputado federal deste ano.

Nomes mais cotados

A predominância é de professores. Na sequência, aparecem os pastores, em uma lista que inclui, também, donas de casa, policiais, agentes da saúde e até estudantes.



O advogado eleitoral e procurador da Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) Paulo Pinto explica que as denominações que causem dúvidas ao eleitor ou exponham qualquer situação constrangedora não são permitidas. “A lei esclarece que os candidatos podem usar o nome pelos quais são conhecidos. Contudo, não podem utilizar nomes que referenciem maus costumes ou que possam causar dúvida no eleitor, situações que fogem ao padrão”, pontua.

A lei se tornou mais rígida após as eleições municipais de 2012. Na época, os candidatos que se registraram com nomes de órgãos sexuais, empresas, apelidos ou nomes esdrúxulos foram intimados. Eles tiveram que mudar o registro ou aceitar o nome civil.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida
Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM