Jornal do Commercio
REDE

Marina diz que facada foi desconstrução de discurso de Bolsonaro

''O candidato Bolsonaro teve sua proposta desconstruída por aquilo que ele mesmo pregava que é a distribuição de armas'', afirmou

Publicado em 13/09/2018, às 20h41

Marina voltou a dizer que a facada em Bolsonaro foi desconstrução do discurso do concorrente / Foto: Marcello Casal jr/Agência Brasil
Marina voltou a dizer que a facada em Bolsonaro foi desconstrução do discurso do concorrente
Foto: Marcello Casal jr/Agência Brasil
Estadão Conteúdo

A candidata da Rede à Presidência da República, Marina Silva, voltou a dizer que a facada em Jair Bolsonaro (PSL) foi uma desconstrução do discurso do concorrente, que prega flexibilização do porte de arma no País.

Marina fez campanha nesta quinta-feira (13) em Brasília e finalizou o dia com uma caminhada no centro da cidade. Ela foi recebida por dezenas de militantes que andaram com a candidata por alguns minutos.



Questionada se teria incrementado sua segurança após o atentado contra Bolsonaro, Marina disse que é recebida com amor. "A melhor forma de combater o ódio é não deixando que ele tome conta da gente", disse. "O candidato Bolsonaro teve sua proposta desconstruída por aquilo que ele mesmo pregava que é a distribuição de armas", afirmou.

Pesquisas

Sobre as pesquisas, Marina disse que há empate para o segundo lugar e que vê mobilização na sociedade por mudanças.

A candidata ressaltou também propostas para o Nordeste do País, onde pretende incrementar a educação.


Palavras-chave


Comentários

Por Andrea,14/09/2018

Concordo com o comentário do Ivson Barbosa da Silva. Marina: sua chance de ser presidente foi em 2014. Agora só na próxima reencarnação kkkk

Por Cesar,14/09/2018

Para de dizer besteira sua tartaruga ambulante! Assim, o Luladrão e sua turma já tinham sido mortos à muito tempo, pois à muito que eles pregam a violência, inclusive desafiando o Judiciário, mas disso você não fala, porque também é militante do PT inrrustida, foi lá que você começou!

Por Silva,14/09/2018

INFELIZMENTE É MUITO DESPREPARADA PARA FALAR DE SEGURANÇA, OUTRAS ÁREAS ATÉ DOMINA MAIS ESTE TEMA É UM CALO.

Por TED BOY,14/09/2018

Eu não vi sangue na camisa de Bolsolixo.nem na faca tinha sangue. nunca vi grupo de paramédicos tratar um enfermo sem luvas vi isto nas fotos dele ao ser socorrido para o Hospirtal.muito estranho.precisa ser averiguado após as eleições.s efoi uma armação ou não para ganhar votos. segundo demegogia de qualquer candidato falar em porte de armas isto para ser aprovado precisa passar pelo Congresso e Senado.

Por mvm,14/09/2018

Foi não, dissimulada!! Primeiro do que tudo, é preciso investigar a fundo p/ constatar se partiu ou não da esquerda podre que assola esse país. Segundo, é a mais cabal demonstração de que ninguém suporta mais o discurso do politicamente correto de tratar bandido com mil regalias, pois eles só se perpetuam como bandidos porque a lei é frágil e lhes consagra mil benesses. Deixe de ser cínica e vá ver os noticiários policiais, onde as ações criminosas não estancam nunca, pela simples certeza da impunidade.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.
Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM