Jornal do Commercio
Eleições 2018

Bolsonaro e Haddad afirmam que vão defender a Constituição

Em primeira entrevista após a votação do 1º turno, candidatos pregaram discurso similar quanto à Constituição

Publicado em 08/10/2018, às 22h04

Candidatos foram entrevistados pelo Jornal Nacional / Fotos: Reprodução/TV Globo
Candidatos foram entrevistados pelo Jornal Nacional
Fotos: Reprodução/TV Globo
JC Online com Estadão Conteúdo

Na primeira entrevista após a eleição no primeiro turno, os candidatos Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT) afirmaram, nesta segunda-feira (8), ao vivo no Jornal Nacional, da Rede Globo, entre outros pontos, que defenderão a Constituição.

>> Haddad fala em 'emenda constitucional'

>> Bolsonaro prega união do País e repreende Mourão publicamente

Sorteado para ser entrevistado primeiro, o candidato do PT disse nesta segunda-feira (8) que reviu seu posicionamento sobre a Constituinte exclusiva proposta pelo plano de governo do partido. "Revimos o posicionamento. As reformas serão feitas por emenda constitucional", disse Haddad ao Jornal Nacional, da TV Globo. O candidato defendeu três reformas econômicas com aprovação do Congresso: tributária, bancária e fim do teto de gastos.



Já Bolsonaro disse também que pretende unir o País se for eleito ao Planalto. Ele aproveitou a oportunidade para repreender publicamente o vice na sua chapa, general Hamilton Mourão (PRTB), e afirmou que será o escravo da Constituição. "Nós vamos pacificar e unir o povo brasileiro", disse o candidato. Bolsonaro afirmou ainda que vai ser "escravo da nossa Constituição".



Comentários

Por LYRA,09/10/2018

Em termos de defender e manter essa coisa que nem os meliantes políticos, que são todos eles que militam nessa quadrilha que é a politica nacional, e nem a nossa também podre "justiça" respeita, talvez o Haddad cumpra com a promessa mas, o tal BOLSA NO ARO eu duvido, esse DITADOR irá simplesmente encher seu ministério de generais anciões da reserva e depois aplicar um golpe para passa no minimo uns trinta anos no poder. Quem viver verá, essa zona comandada por um ditador e seus aspones generais, isso sim, é o que podemos chamar de JABOTICABA, um capital raso dando ordens a generais, como é o caso de Mourão SAFADÃO, que quer acabar com os restinhos dos direitos do trabalhador brasileiro. Lembro que o Haddad e nem o PT seria uma boa opção mas, é menos ariscada que o BOLSA NO ARO.



Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Especial educação Especial educação
E se você descobrisse que o futuro ligado às tendências que irão norteá-lo já chegou? O mundo hoje é um mar de oportunidades, para conhecimento, informação e inovação. Cada vez mais o profissional precisa evoluir. Por isso veja o caminho a seguir
A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza A revolução da ciclomobilidade: o exemplo de Fortaleza
A capital cearense, diferentemente da pernambucana – embora nordestina também – deu um salto na infraestrutura viária voltada para as bicicletas. A cidade está repleta de ciclofaixas. Por toda parte. E a grande maioria conectada
Cantos e Recantos Cantos e Recantos
A temporada de sol está nos espreitando, e a Praia de Boa Viagem é sempre uma opção de passeio. Mas que tal ousar um pouquinho na quilometragem e desbravar outros destinos? Pernambuco tem muitos lugares fantásticos e você vai adorar o roteiro que o JC fe

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM