Jornal do Commercio
SEGUNDO TURNO

Gleisi: Lula mandou Haddad fazer campanha e não ir mais a Curitiba

''Foi um recado para mim: manda o Haddad fazer campanha, não precisa mais vir aqui'', disse a presidente do PT

Publicado em 09/10/2018, às 16h31

Na primeira agenda do 2º turno, Haddad visitou Lula para discutir estratégias / Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula
Na primeira agenda do 2º turno, Haddad visitou Lula para discutir estratégias
Foto: Ricardo Stuckert/Instituto Lula
Estadão Conteúdo

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, afirmou que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez chegar ao partido que espera que o candidato à Presidência, Fernando Haddad, se concentre nas agendas de rua da campanha neste segundo turno e deixe de visitá-lo na prisão semanalmente, como tem feito até o momento.

"Foi um recado para mim: manda o Haddad fazer campanha, não precisa mais vir aqui", disse Gleisi, que participa de reunião organizada pela direção petista na capital paulista, nesta terça-feira (9).

Ajustes no programa

Gleisi voltou a defender ajustes no programa de Haddad no segundo turno para atrair novos aliados, mas reforçou que a proposta do PT para a Previdência está "fechada". Haddad, no entanto, já sinalizou que pode discutir questões como a idade mínima para aposentadoria.



"Na Previdência, é um tema que temos mais posição fechada", declarou a dirigente. Ela enfatizou que a proposta do PT é uma medida que ataque privilégios, mas que não mexa no regime geral do INSS.

Gleisi disse que o partido ainda não discutiu ajustes no plano para agregar propostas como a de Ciro Gomes (PDT) sobre capitalização do sistema de Previdência. A discussão seria feita com Ciro se ele declarar apoio a Haddad.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM