Jornal do Commercio
Embate

Haddad diz que vai 'até a uma enfermaria' debater com Bolsonaro

Bolsonaro alegou restrições médicas a situações de stress. Haddad disse que aceita ir até uma enfermaria para debater

Publicado em 10/10/2018, às 11h54

"Ele falou que não quer se estressar? Vou falar docemente, nem altero a voz", afirmou Haddad
Foto: Nelson Almeida/AFP
Estadão Conteúdo

O candidato do PT à Presidência da República, Fernando Haddad, reagiu nesta quarta-feira (10) à decisão do rival Jair Bolsonaro (PSL) de não participar do debate da TV Bandeirantes, nesta semana. Ao ser informado que o adversário alegou restrições médicas a situações de stress, Haddad disse que aceita ir até uma enfermaria para debater. 

"Eu vou até a uma enfermaria na boa, para fazer o debate", afirmou Haddad. "Ele falou que não quer se estressar? Vou falar docemente, nem altero a voz. Faço o que ele quiser para ele dizer o que pensa", afirmou Haddad, ao ser informado do cancelamento do debate enquanto concedia entrevista à imprensa estrangeira. "Os brasileiros precisam saber a verdade", emendou o ex-prefeito. 

O candidato do PT também se queixou de fake news lançadas contra sua campanha e afirmou já ter obtido na Justiça o direito de retirar 33 vídeos do ar. Embora tenha ponderado que o peso das notícias falsas tende a ser menor neste segundo turno, ele reforçou que é necessário o debate direto entre candidatos. 

"Essa turma da extrema direita não tem pudores em jogar pesado, jogam com o que estiver na mão, passam em cima da sua honra, da sua família", disse.

Haddad afirmou ainda que visitará nesta quinta-feira (11), a Confederação Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), para "conter as mentiras" que seu "adversário está jogando na internet". E engatou: "Não precisamos mentir sobre Bolsonaro, só mostrar como ele pensa."



Guedes

Haddad, evitou comentar a investigação do Ministério Público Federal em Brasília contra o guru de Bolsonaro, o economista Paulo Guedes, por suposto envolvimento em fraudes. 

O ex-prefeito disse não ter tomado conhecimento sobre os detalhes da denúncia e, portanto, disse preferir não se pronunciar. "Não li a denúncia, então não posso me manifestar", afirmou o ex-prefeito, voltando a detalhar o perfil que espera para seu próprio ministro da Fazenda. 

"O que eu posso assegurar é que no Ministério da Fazenda do meu governo não será um banqueiro. Não tem Paulo Guedes não tem banqueiro no meu governo", prosseguiu. "Na Fazenda tem que ser alguém comprometido com produção e com geração de emprego."

Questionado sobre seu próprio perfil, Haddad disse que é conhecido "como uma pessoa de grande moderação". "Sou amante da liberdade, mas passamos do limite da desigualdade", afirmou.





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM