Jornal do Commercio
ATO FALHO

Sou vítima daquilo que prego, diz Bolsonaro

Durante a entrevista na rádio CBN, o candidato à Presidência Jair Bolsonaro, se esquivou da responsabilização sobre ataques cometidos por seus apoiadores

Publicado em 11/10/2018, às 22h57

O presidenciável afirmou que lamenta os atos de violência que estão ocorrendo / Foto: Mauro Pimentel / AFP
O presidenciável afirmou que lamenta os atos de violência que estão ocorrendo
Foto: Mauro Pimentel / AFP
Estadão Conteúdo

O candidato do PSL à Presidência, Jair Bolsonaro, cometeu um ato falho na entrevista à rádio CBN, veiculada na noite desta quinta-feira (11). Ao fazer um discurso contra os votos de pessoas que cometem violência contra adversários dele, Bolsonaro disse que ele é vítima do clima de polarização do País. "Sou vítima daquilo que prego", afirmou.

O candidato voltou a se esquivar da responsabilização dele sobre ataques que teriam sido cometidos por apoiadores dele, como o assassinato do mestre de capoeira Moa do Katendê.



"Quem levou a facada foi eu"

"Foram 48 milhões de pessoas que votaram em mim, você quer que eu me responsabilize por elas?", questionou. "Me desculpa, quem levou a facada foi eu. Lamento isso aí (atos de violência). Condenar, condeno sim."


Palavras-chave




Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Papai Noel o ano inteiro Papai Noel o ano inteiro
As luzes na cidade anunciam que o Natal já chegou. É nesta época do ano que o espírito natalino faz aflorar alguns dos sentimentos mais nobres. Agora iremos contar histórias de pessoas, organizações e empresas que fizeram da solidariedade missão de vida
Vida fit todo dia Vida fit todo dia
Apesar de a abertura do Verão no Brasil só acontecer em dezembro, no Nordeste há uma antecipação da data. Por esse motivo, que tal aproveitar esses meses de energia para cultivar bons hábitos e mudar o estilo de vida? Veja várias dicas de como se cuidar
BRT: E agora? BRT: E agora?
Ele está ferido, sofrido. Esquecido. E sem perspectivas de melhoria. Tem sobrevivido como é possível e, apenas pontualmente, esboça reações positivas. O sistema BRT, Bus Rapid Transit, tem sofrido de inanição em todo o País. E poderá se perder.

    SIGA-NOS

Jornal do Commercio 2018 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM