Jornal do Commercio
ELEIÇÕES 2018

Na TV, Bolsonaro ataca o PT e Haddad critica a violência

Nesta sexta (12), foi ao ar o primeiro guia eleitoral do segundo turno

Publicado em 12/10/2018, às 13h18

Bolsonaro destacou seu relacionamento com a filha enquanto Haddad falou em Lula / Foto: Reprodução
Bolsonaro destacou seu relacionamento com a filha enquanto Haddad falou em Lula
Foto: Reprodução
JC Online

O primeiro guia eleitoral obrigatório do segundo turno foi ao ar nesta sexta-feira (12) com ataques e apresentações de ambos os lados. Nos programas dos presidenciáveis Jair Bolsonaro (PSL) e Fernando Haddad (PT), não faltaram críticas um ao outro.

Bolsonaro

O ex-militar aproveitou o seu tempo de TV para atacar o PT usando, sobretudo, a imagem do ex-presidente Lula, como já havia feito na propaganda para o rádio, e traçando comparações com os problemas enfrentados por países como a Venezuela e Cuba. Além disso, deu destaque ao seu relacionamento com sua filha mais nova, Laura, que foi alvo polêmicas após o candidato afirmar que só tinha tido filhos homens até que "fraquejou" e veio a menina. No entanto, o guia não explorou as propostas do candidato para o Brasil.



Haddad

Já o ex-prefeito de São Paulo utilizou os seus cinco minutos para atacar o adversário associando aos eleitores de Bolsonaro os recentes casos de violência por motivação política, como o assassinato do capoeirista Môa do Katendê, que havia declarado seu voto no PT. Diferentemente da propaganda no rádio, na qual Lula não foi mencionado, Lula teve espaço no guia de Haddad na TV, exaltando os feitos do candidato quando ministro da Educação. No campo das propostas, Haddad explicou como funcionaria a proposta de federalização do ensino médio, onde o governo, em parceria com os Estados, se responsabilizaria por escolar em situação de ''vulnerabilidade''.

Propaganda do rádio

No rádio, o candidato Jair Bolsonaro (PSL) partiu para o ataque contra o PT e seu adversário, Fernando Haddad. Já o programa do petista ligou o concorrente à onda de violência gerada na campanha à Presidência da República e não citou, como havia feito no primeiro turno, o nome do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).





Comentar


Nome E-mail
Comentário
digite o código
Desejo ser notificado de comentários de outros internautas sobre este tópico.

OFERTAS

Especiais JC

Copa América no Brasil Copa América no Brasil
Confira a relação da Copa América com o Brasil, o histórico e detalhes da edição deste ano, na qual a seleção terá que se virar sem Neymar, cortado do torneio. Catar e Japão participam como convidados
O nome dele era Gabriel Diniz O nome dele era Gabriel Diniz
José Gabriel de Souza Diniz, o Gabriel Diniz, ou simplesmente GD como os fãs o chamavam, morreu precocemente, aos 28 anos, em um acidente com um pequeno avião no litoral sul de Sergipe ocorrido na segunda-feira, 27 de maio de 2019.
Conheça o udigrudi pernambucano Conheça o udigrudi pernambucano
O udigrudi pernambucano reuniu um grupo de talentosos jovens músicos que, na primeira metade dos anos 70, gravou discos absolutamente não comerciais, fez rock and roll na terra do frevo, produziu festivais, insistiram na permanência do sonho.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM