Jornal do Commercio
Campanha Eleitoral

Haddad diz que irá à Justiça contra empresários e Bolsonaro

De acordo com o petista, a matéria "comprova que o deputado Bolsonaro criou uma verdadeira organização criminosa com empresários mediante caixa 2

Publicado em 18/10/2018, às 10h30

"Ele, que dizia que faz a campanha mais pobre, foi desmentido hoje. Ele faz a campanha mais rica do País, com dinheiro sujo", afirmou
NELSON ALMEIDA / AFP
Estadão Conteúdo

O candidato à Presidência da República pelo PT, Fernando Haddad, disse que pedirá providências à Justiça Eleitoral contra Jair Bolsonaro (PSL) e empresários que, segundo matéria da Folha de S.Paulo, estariam comprando pacotes de disparos de mensagens contra o PT pelo WhatsApp.

"Vamos pedir providências para a Justiça Eleitoral para que empresários que fazem isso sejam presos, para impedir o deputado Bolsonaro de violentar a democracia, como fez a vida toda", afirmou Haddad em entrevista à Rádio Tupi, do Rio de Janeiro.

De acordo com o petista, a matéria "comprova que o deputado Bolsonaro criou uma verdadeira organização criminosa com empresários que, mediante caixa 2, dinheiro sujo, estão patrocinando disparos de mensagens mentirosas no WhatsApp". "Meu adversário está usando crime eleitoral para obter vantagem. Ele, que dizia que faz a campanha mais pobre, foi desmentido hoje. Ele faz a campanha mais rica do País, com dinheiro sujo", continuou.

Até agora, Bolsonaro não se manifestou sobre o caso. Em seu Twitter, falou apenas sobre o apoio que tem recebido. "Sempre dissemos que não existe salvador da pátria, mas graças a união do brasileiro temos a chance real de não virarmos a próxima Venezuela. Juntos, daremos o pontapé para fazermos do Brasil uma das mais respeitáveis potências mundiais, cuja posição jamais deveria estar de fora!", afirmou.



O capitão reformado também pediu para que não haja relaxamento na campanha. "Jamais confiem em pesquisas! Não relaxemos!", escreveu. "Nossa pesquisa é o sentimento nas ruas!", disse.

Haddad e saúde

Na entrevista à Rádio Tupi, Haddad também falou sobre seus planos para a saúde. Ele afirmou que os hospitais universitários, que poderiam ajudar a melhorar o cenário atual, não têm recebido verba federal. "A primeira providência é sanear esse problema", disse.

Depois, o ex-prefeito citou a criação de policlínicas. "Vamos criar policlínicas para aliviar os hospitais. Vamos espalhar 400 por todo o País. Com isso, vou liberar leitos hospitalares para atender casos mais graves", prometeu.




Os comentários abaixo são de responsabilidade dos respectivos perfis do facebook.

OFERTAS

Especiais JC

Especial Nova Rotação Especial Nova Rotação
As cidades estão entrando em colapso. Refletem o resultado da mobilidade urbana convencional, um mal incorporado à sociedade e de difícil enfrentamento.Mas o momento de inverter essa lógica é agora. Criar uma nova rotação para as cidades, para as pessoas
JC Recall de Marcas 2019 JC Recall de Marcas 2019
Pitú e Vitarella são as marcas mais lembradas pelo consumidor pernambucano, de acordo com a edição 2019 do Prêmio JC Recall de Marcas. O ranking foi feito a partir de levantamento do Harrop Pesquisa para o Jornal do Commercio.
Especial Tempo de Férias Especial Tempo de Férias
O tempo das férias finalmente chegou e com ele os vários planos sobre o que fazer no período livre. O JC traz algumas dicas de como otimizar o período para voltar renovado do merecido descanso.

    SIGA-NOS

    LICENCIAMENTO

  • Para solicitação de licenciamento, contactar editores@ne10.com.br

Jornal do Commercio 2019 © Todos os direitos reservados

EXPEDIENTE |

PRIVACIDADE

Sistema Jornal do Commercio Grupo JCPM